Na última quinta-feira (16), o governo de Moscou, na pessoa do seu presidente #Vladimir Putin, recebeu as credenciais dos novos embaixadores representando ao todo 18 nações, tais como: Turquia, Peru, Iraque, Israel, Guatemala, Afeganistão, Chile, Tunísia e, principalmente, o que mais interessa para os leitores brasileiros, o embaixador do Brasil também se fez presente na entrega citada acima. Todo esse ritual político-diplomático é bastante comum e necessário, quando um novo embaixador se encaminha ao país no qual desempenhará o seu trabalho e em Moscou, especificamente, a tradição determina que a cerimônia seja efetuada no bonito Salão Aleksandrov do Grande Palácio do Kremlin.

Publicidade
Publicidade

Luis Espinola Salgado, que já foi o embaixador brasileiro em Ancara, capital da Turquia, passa a ser o chefe de toda a missão diplomática brasileira na Rússia. E falando em Brasil, o presidente Putin reiterou que tanto ele quanto os demais membros do seu governo terão “todo o gosto em receber o presidente Michel Temer neste verão”, fazendo questão de frisar que o Brasil para a Rússia é uma nação importantíssima, estrategicamente falando no contexto latino-americano.

Conforme os especialistas em diplomacia internacional, o governo do Kremlin tinha mais penetração no Brasil durante os últimos 13 anos da liderança do PT, período de Luiz Inácio Lula da Silva e #Dilma Rousseff; entretanto, conforme Putin fez questão de frisar, o nível satisfatório de cooperação econômico-comercial, técnico-científico e de auxílio humanitário tem de continuar, muito embora tenham sido veiculadas notícias anteriormente pela imprensa, de que o presidente russo não é muito afeito ao seu homólogo brasileiro.

Publicidade

A última vez em que #Michel Temer esteve na Rússia foi no outono do ano de 2015, quando era ainda o vice-presidente de Dilma, eleita com mais de 54 milhões de votos; sendo que, naquela ocasião, Temer como que por ironia do destino, confirmou que Rousseff cumpriria o seu mandato presidencial até 2018, quando o novo presidente, que seria eleito, estaria assumindo o poder no Planalto Central. Enfim, é a 1ª viagem de Temer à Rússia agora como presidente do Brasil.

Independente de qual seja a situação política e econômica, mais do que preocupante internamente no gigante da América do Sul, Putin discursou no encontro com os embaixadores, expondo que o país dele sempre estará de portas abertas a manter um relacionamento franco com os 18 países ali representados pelos diplomatas.

Putin disse que sempre estará ao lado da tomada de ações conjuntas, as quais estejam orientadas para a construção de uma ordem mundial justa e baseada nos princípios democráticos de fato, obedecendo às regras do “direito internacional da Carta das Nações Unidas". Basta saber se Temer é cúmplice da mesma ideologia de valores expressa nas palavras do russo. Por outro lado, a polarização da sociedade brasileira, entre linhas políticas de direita e esquerda, não demonstra bem isso atualmente.