Foi encontrado, nesta terça-feira dia (18), o corpo de Steve Stephens, suspeito de matar uma pessoa no meio da rua. A vítima foi escolhida aleatoriamente por ele para ser assassinada, com o crime sendo gravado e o vídeo postado em uma rede social, o Facebook.

A morte de Stephens foi divulgada através do Twitter da polícia do estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos. Segundo autoridades locais, Steve Stephens foi encontrado andando pelo condado de Erie, na Pensilvânia. Depois de uma curta perseguição ao suspeito, ele atirou contra si e morreu no local.

No momento, a polícia tem indícios apenas de um crime cometido pelo suspeito, que foi o #assassinato de Robert Godwin, que tinha 84 anos, e morreu no domingo (16) em uma rua de Cleveland, Ohio.

Publicidade
Publicidade

Robert foi assinado quando voltava de uma confraternização de Páscoa na casa de familiares.

O suspeito tinha ficha limpa

Até o momento, não se tem muitas informações, nem se sabe muito sobre o Stephens, o suspeito de assinar um homem em Cleveland. As únicas informações sobre o acusado é que tinha 37 anos e atualmente tinha um cargo de assistente social em um local onde se trata de crianças com problemas mentais.

Ele não tinha se quer uma passagem pela polícia. Segundo o chefe de polícia de Cleveland, Calvin Williams, Stephen parecia ter algum tipo de problema. Em um dos vídeos postados pelo suspeito no Facebook, logo após cometer o assassinato, ele chega a falar em ter perdido os sentidos por alguns instantes e não sabia direito o que estava fazendo.

Também deu para ver em algumas postagens feitas em uma de suas páginas que ele tinha ativa na internet relatando que tinha algumas dívidas expressivas em alguns cassinos da região.

Publicidade

Em uma dessas publicações, dá para vê-lo relatando que tinha perdido tudo o que tinha em cassinos localizados em Cleveland e Erie.

As imagens do vídeo são assustadoras devido a frieza de Steven Stephens ao relatar o que foi feito com sua vítima. Ele relatou em um vídeo que foi gravado e postado em uma de suas páginas que tinha na internet sobre o assassinato de Robert Godwin. "Está vendo, a coisa é, cara, que eu tenho 37 anos e toda a minha vida, cara, eu sempre fui um monstro.” #Estados Unidos #Casos de polícia