Uma caminhonete "bomba" atacou um grupo de ônibus que estava na cidade da Síria de Aleppo, matando cerca de 43 pessoas e várias outras ficaram feridas, neste sábado (15). Os ônibus levavam sírios fiéis ao regime, segundo os direitos humanos do país.

De acordo com os socorristas, foram contados 45 corpos em sacos pretos, mas os socorristas de capacete branco acreditam que pelo menos cem pessoas foram mortas no ataque.

"Há muitos feridos e estamos encontrando ainda mais", informou agência France Presse.

As imagens mostram corpos pelo chão e foco de incêndio, os ônibus estavam queimados e os vidros quebrados devido à explosão.

Publicidade
Publicidade

O ataque ocorreu nos arredores de Aleppo. Os veículos carregados de pessoas, principalmente moradores Xiitas, esperavam para entrar na cidade

O terrorista estava em uma caminhonete que levava alimentos, "estava distribuindo batata frita e as crianças correram atrás dessa van", disse um civil evacuado. Ele detonou uma bomba perto dos veículos estacionados. Cerca de 5 mil pessoas favoráveis ao regime estavam a bordo dos veículos.

Pessoas esperavam transferência

O correspondente da AFP encontrou muitos corpos e alguns carbonizados, incluindo crianças, perto dos ônibus destruídos pelo o atentado.

Na sexta-feira foi feito um acordo para evacuar pessoas das cidades de Fua e Kafraya, e também das cidades rebeldes de Madaya e Al-Zabadani, com esse acordo cerca de 7 mil pessoas esperavam para entrar na cidade, de acordo com o OSDH.

Publicidade

A #ONU descreveu a situação como "catastrófica", civis estão presos nessa violência.

Essas eram as últimas de uma longa série de evacuações e isso só foi possível graças a um acordo entre todas as partes, Catar e o Irã patrocinaram o acordo.

O número de vítimas aumentou, pois as pessoas que estavam sendo atendidas pelos médicos locais morreram. E ainda mais corpos foram encontrados no local da explosão.

A agência da Síria "Sana", disse que das dezenas de vítimas, a maior parte era de crianças e mulheres das famílias retiradas. Rebeldes acusam o governo de violar os termos do acordo e acusaram de tentar trazer mais combatentes leais junto aos civis.

Segundo a Appo, o exercito especial russo cercou o comboio das cidades controladas pelos rebeldes após um bombardeio e fechou estradas afim de evitar uma reação.

As evacuações são necessárias?

Muito pessoas morrem como resultado da escassez de alimentos ou medicamentos. Por isso são feitas evacuações, para que vidas sejam salvas. #Exército #Ataque Terrorista