Nesta terça-feira (13) o Pentágono confirmou o lançamento de um míssil aéreo GBU-43 / B (MOAB) de 21.600 libras, também descrito como Mother of All Bombs (Mãe de Todas as Bombas), na província de Nangarhar, região que é conhecida por ser lotada de túneis do #Estado Islâmico (ISIS, na sigla em inglês). Segundo os relatos do exército americano, é a maior bomba não-nuclear já utilizada pelos Estados Unidos.

A arma, que foi utilizada pela primeira vez em zona de #Guerra, foi lançada por um avião Lockheed MC-130. Os oficiais militares dos EUA ainda estão trabalhando para averiguar os danos causados pela bomba, que possui um raio de alcance de 300 metros.

Publicidade
Publicidade

Depois da ação realizada na Síria em resposta ao ataque químico, e o lançamento da MOAB, ficou claro que o presidente do Estados Unidos, Donald Trump, não economizará recursos para acabar com o terrorismo e resolver os conflitos da maneira mais célere possível.

Curiosidades Sobre a "Mãe de Todas as Bombas"

O GBU-43 / B Massive Ordnance Air Blast (MOAB), foi desenvolvido pelo cientista Albert L. Weimorts Jr. no Laboratório de Pesquisa da Força Aérea. Durante o seu desenvolvimento ela ficou conhecida como a arma não-nuclear mais poderosa já projetada. Entretanto, a Rússia criou também seu próprio “Pai de Todas as Bombas”, que é quatro vezes mais poderoso do que a MOAB.

A MOAB foi testada pela primeira vez na base aérea de Englin, na Flórida, no dia 11 de março de 2003, sendo novamente testada em novembro do mesmo ano.

Publicidade

Sabe-se também que fora produzida na Usina de Munições do Exército McAlester, também em 2003, embora tenham sido produzidas apenas 15 unidades.

O objetivo de sua criação era fornecer apoio à Guerra do Iraque, entretanto não chegou a ser usada, apesar de ter sido movida para área do Golfo Pérsico em abril de 2003.

A “Mãe de Todas as Bombas” não é uma arma penetradora, apenas destinando-se a alvos de superfície macia ou média, abrangendo áreas num ambiente contido, como um cânion profundo ou dentro de um sistema de cavernas, como é o caso dos túneis utilizados pelo Estado Islâmico em Nangarhar. Apesar da bomba ter sido construída especificamente para ser lançada com o Lockheed MC-130, ela também pode ser utilizada por caças/ bombardeiros, como o F-16, e por bombardeiros pesados de alta altitude, como o B-52, o B-2 ou o B-1, altamente eficazes para cobrir grandes áreas. Veja o vídeo:

#EUA