Uma das prisões mais notórias e de alta segurança da Grã-Bretanha já começou a castrar quimicamente os criminosos sexuais. A #cadeia HMP Frankland é uma das pioneiras fazendo esse tipo de 'tratamento', em uma tentativa de controlar impulsos sexuais através de hormônios. Entre os detentos mais conhecidos dessa cadeia estão alguns assassinos de crianças, como Ian Huntley e Levi Bellfield. Esses dois nomes estão entre aqueles que já estão recebendo o referido tratamento, que vai tentar impedir que eles sintam os mesmos impulsos, que os teriam levado a cometer os abusos.

O professor Don Grubin, que criou o programa, disse que a prisão foi escolhida porque abrigava os criminosos sexuais mais perigosos e que seriam mais complicados de gerenciar dentro da cadeia, mas também fora, quando saírem.

Publicidade
Publicidade

"Seu nível de excitação sexual é tão alto que é difícil eles participarem em programas de tratamento psicológico. E em outros casos, o seu nível de excitação pode ser a causa deles se meterem em problemas na prisão", considerou Don Grubin, em revelações ao jornal Mirror.

Como funciona a castração química

Aqueles que fazem parte deste programa, recebem uma droga para reduzir os níveis de testosterona, de acordo com o Sunday People. O tratamento está sendo financiado pelo estado inglês e já existe em mais cadeias inglesas, como a de Nothingham, onde este projeto foi primeiramente implementado. Foi em 2009 que eles começaram com esta castração química, que pretende reduzir os níveis de excitação dos criminosos sexuais. Desde que começou, eles aplicaram esta droga em 92 dos 851 criminosos sexuais da cadeia.

Publicidade

O número não é muito elevado, mas é tudo ainda bastante recente. Agora, o tratamento foi lançado em cinco prisões mais, e fica disponibilizado para 64 reclusos. "O princípio é permitir que os ofensores sexuais gerenciem melhor a sua excitação sexual e comportamento. É administrado por razões médicas e não como gestão de risco, embora a redução do risco seja tipicamente um efeito colateral benéfico", garantiu Don Grubin, o mentor deste projeto.

Porém, a castração química é uma medida que vai se falando há vários anos, para travar definitivamente o ímpeto sexual doentio dos criminosos sexuais mais perigosos ou reincidentes. Enquanto não for obrigatório e utilizado como sentença mesmo, estes programas vão sendo parte das terapias dos criminosos, mas são como opção. Tal como o tratamento psicolôgico, que existem em algumas cadeias, também este tratamento é voluntário, como explicou um porta-voz do Serviço Penitenciário de Frankland: "O tratamento para gerenciar a excitação sexual está disponível voluntariamente como parte de uma série de medidas". #Abuso Sexual #Pedofilia