Em Portugal, um casal de idosos está sendo notícia e não pelas melhores razões. Em Elvas, uma cidade do interior do país, o marido de uma senhora de 76 anos levou-a até a uma estação dos correios utilizando para isso um carrinho de pedreiro. Essa foi a única solução que o homem de 59 anos encontrou para conseguir transportar a mulher de forma a poder receber a aposentadoria.

É num cenário de miséria que o casal vive. A casa fica isolada, fora da cidade de Elvas, a cerca de 5 quilômetros. Devido à extrema pobreza em que vivem, a aposentadoria da mulher de 76 anos é imprescindível para a sobrevivência do casal e, por essa razão, precisam de se deslocar até Elvas para receber o pagamento mensal.

Publicidade
Publicidade

Como o casal de idosos não tem carro, costuma ir até Elvas a pé. No entanto, como a mulher de 76 anos se encontra doente e bastante debilitada, a única forma que o marido encontrou para a transportar foi colocando-a em um carro de mão.

Quando os dois idosos chegaram à cidade, os populares ficaram bastante surpreendidos e chocados com aquele cenário. Por isso, acabaram por chamar a Polícia de Segurança Pública que, com a ajuda dos bombeiros de Elvas, ajudaram-nos no transporte.

Entretanto, o jornal “Correio da Manhã” foi até Elvas e investigou a situação. O casal vive em uma propriedade afastada da cidade e já foi visitado pelo apoio social de #portugal. No entanto, eles recusaram sempre qualquer ajuda direta.

Uma vizinha dos dois idosos contou a esse mesmo jornal que o casal vive na miséria e que alguns vizinhos lhes chegam a levar comida.

Publicidade

Porém, muitas vezes eles acabam recusando a ajuda. Em Elvas, existe também um programa social gerido pelos bombeiros da cidade. Esse programa tem como objetivo ajudar os idosos que vivem isolados e está também dando algum apoio a Florindo, de 59 anos, e a sua mulher, mais idosa de 76 anos.

Idosos são abandonados

Dados de 2015 indicam que Portugal é um dos países europeus onde os mais velhos têm menos apoio. É um dos países daquele continente com menos profissionais dedicados aos idosos e onde menos dinheiro é alocado no seu apoio.

Quem o diz é um estudo da OIT (Organização Internacional do Trabalho), que chegou ainda à conclusão que são necessários quase 14 milhões de trabalhadores para haver uma cobertura universal em termos de cuidados continuados a pessoas com mais de 65 anos.

O que você acha sobre essa situação? Já viu ou viveu situações semelhantes? Escreva a sua opinião nos comentários e não se esqueça de partilhar o artigo com os seus amigos nas redes sociais! #Crise #Sociedade