Essa semana, uma #pesquisa divulgada pelo Instituto para Medicina Espacial e Fisiologia, localizado na França, trouxe uma proposta um tanto quanto inusitada. Os #Cientistas divulgaram o estudo, que consiste em entender como o corpo humano se comporta no espaço por longos períodos. Para simular a situação vivida por um astronauta, os médicos criaram um ambiente em que basicamente simule a micogravidade vivida fora da Terra. Para poder testar esses efeitos, os cientistas estão escalando vinte e quatro homens jovens e saudáveis para participar do teste. Em troca eles estão oferecendo 16 mil euros, o que corresponde a quase 60 mil reais em dinheiro.

Publicidade
Publicidade

A única tarefa dos escalados para o estudo é ficar indispensavelmente deitados em uma cama, por cerca de dois meses. O que parece ser a oportunidade para se ganhar dinheiro fácil, na verdade é uma proposta árdua. Uma vez que os candidatos deverão se abster por todo esse tempo de atividade diárias básicas, inclusive de seus hábitos fisiológicos. Isso quer dizer que os homens que iniciarão os estudos, não poderão, por exemplo, levantar para ir ao banheiro, ou tomar banho como qualquer pessoa normal. Ao contrário, a regra é que eles permaneçam deitados, de modo que pelo menos um dos ombros continue encostado na cama. A ideia é entender quais seriam os prejuízos trazidos aos astronautas que passam longo tempo no espaço para conseguir preveni-los.

Já se sabe através de outras pesquisas, que ficar sob microgravidade traz algumas repercussões para o organismo.

Publicidade

Por exemplo, atrofia de músculos, e ossos, e dificuldade de se manter de pé. Além disso, existe uma hipotensão postural relativa mesmo depois que os astronautas estão já adaptados a Terra novamente. Para preencher a vaga, é preciso não fumar ou beber, não ter qualquer outro tipo de comorbidade, ter o IMC dentro do padrão da normalidade, e praticar atividades físicas regularmente. Antes de se submeter ao estudo, o voluntário passará por uma bateria de exames para poder certificar de seu estado de saúde. E logo após os dois meses, ele deverá passar por uma fase de se recuperar ainda internado, onde também fará exames para atestar que voltou ao seu estado inicial de saúde.