Essa semana foi divulgada a realização de um procedimento cirúrgico que devolveu a visão de um homem, depois que o mesmo ficou dezesseis anos sem enxergar. A cirurgia nada convencional permitiu que tivesse a oportunidade de ver novamente, e pode ser uma alternativa para outras pessoas. O procedimento aconteceu em um centro médico em Sidney, na Austrália. Essa seria a segunda vez que uma pessoa passa pela cirurgia radical com sucesso. O idoso é John Ings, de 72 anos, e havia perdido a visão devido a uma infecção pelo herpes vírus. Segundo relatos do mesmo, ele teria começado a perder lentamente a visão dos dois olhos em consequência do vírus.

Publicidade
Publicidade

A doença teve uma progressão lenta, e o idoso foi percebendo que ao longo dos anos, ia perder totalmente a autonomia. A situação trágica da doença foi motivo de desespero para ele e para os familiares, uma vez que ele teria que conviver com a cegueira já na terceira idade, sem qualquer tipo e mecanismo de adaptação. De acordo com os médicos o herpes vírus vai consumindo a córnea dos pacientes nesse tipo de infecção até o momento em que eles perdem totalmente a acuidade visual. Diante do fato, o aposentado e os familiares decidiram arriscar a fazer o procedimento nada usual e extremamente radical conhecido como osteo-odonto queratopróteses. De maneira bem simples, consiste em colocar um dente dentro do olho do paciente. O que parece impossível e é difícil para os leigos entenderem, foi uma solução encontrada pelo corpo clínico que deu muito certo.

Publicidade

O procedimento é demorado, e é feito ao longo e meses sendo dividido em quatro partes. Além disso, é preciso uma equipe multidisciplinar com dentistas e médicos trabalhando em conjunto.

A primeira delas consiste em extrair um dos dentes do próprio paciente. Logo em seguida é feito uma perfuração no dente, e introduzidas lentes em seu interior. Depois desse procedimento que demora algumas semanas, o dente ‘modificado’ está pronto para ser re-implantado no próprio paciente. É feito um corte no interior da bochecha da pessoa e lá o dente é alojado. O objetivo é que ao entorno do ‘corpo estranho’ o organismo consiga se adaptar e criar uma rede de vascularização capaz de fazer com que o dente fique vivo e se nutra. Durante essa parte Ings teve sucesso, e os médicos perceberam que o dente agora poderia ser colocado no lugar de sua córnea. Até que o implante acontecesse foram três meses de muitas preparações, e que felizmente deram super certo. A lente colocada permitiu que o idoso conseguisse ver novamente. A ideia agora é que a cirurgia consiga beneficiar outras pessoas. #Saúde