No início da manhã desta última terça-feira (11), o anúncio de possível lançamento nuclear colocou em alerta os principais governos do #Mundo. O alarme foi dado pelo estado norte-coreano em resposta a uma investida do governo norte-americano no pacífico. A imprensa que está sob tutela do estado na Coreia do Norte divulgou uma notícia dizendo que haverá revanche caso os Estados Unidos continuem a se adentrar pelo oceano. Durante a transmissão foi dito que qualquer investida maior dos norte-americanos será tratado como um sinal verde para a guerra. A tensão teria aumentado entre os dois países depois que os militares da Marinha dos Estados Unidos começaram a avançar em direção à península.

Publicidade
Publicidade

O ataque americano foi realizado com uma aeronave de propulsão nuclear como uma ofensiva às ameaças recentes da Coreia do Norte. A situação entre os dois países piorou na semana passada depois de um ataque armado do exército dos Estados Unidos na Síria, o que aumentou a possibilidade de que investidas também pudessem ser feitas na Coreia. Além disso, o governo norte-coreano já deu indícios fortes de que poderá fazer pela sexta vez testes em armamentos nucleares capazes de destruir territórios extensos. Quem deu a notícia foi o jornal Rodong Sinmun, que expôs que qualquer ofensiva será tratada com um grande impacto, e que não deixará por menos caso os americanos resolvam interferir da dinâmica do país. Segundo os noticiários o exército revolucionário estaria prontamente preparado para enfrentar uma situação como essa, e que o governo tem observado atentamente todos os passos dos militares inimigos.

Publicidade

Ainda de acordo com o jornal, todas as armas nucleares da Coreia do Norte, estariam apontadas para as bases militares americanas no pacífico, e, além disso, diretamente para os Estados Unidos, e qualquer tentativa poderá culminar em um ataque. A situação tem ficado ainda mais calorosa depois que Donald Trump assumiu a presidência na Casa Branca. O estadista, bastante controverso, tem acentuado ainda mais a presença militar no oceano pacífico justamente para tentar responder às ameaças e testes nucleares dos norte-coreanos. Controverso e extremamente belicista o presidente tende a tomar medidas mais drásticas quando o assunto diz respeito à guerra. Outros estados ainda não se manifestaram a respeito da tensão criada, mas a situação é de alerta mundial, devido à imprevisibilidade dos próximos eventos e passos que serão tomados pelos dois países. #Política