De acordo com a agência Reuters, neste domingo (23) a Coreia do Norte fez mais uma de suas advertências belicosas, afirmando que está pronta para afundar um porta-aviões americano em uma demonstração da capacidade de seu poderio militar.

Desta vez, o alvo das ameaças é o super navio de #Guerra dos Estados Unidos conhecido como USS Carl Vinson, que está realizando exercícios militares na parte ocidental do Oceano Pacífico, juntamente com embarcações da Marinha japonesa.

Lançado ao mar em 15 de março de 1980, o USS Carl Vinson (também conhecido pela sigla CVN-70) é um porta-aviões movido à propulsão nuclear, com capacidade para transportar 90 aeronaves e mais de seis mil tripulantes.

Publicidade
Publicidade

Donald Trump ordenou que uma armada (grupo de navios de guerra) liderada por esta gigantesca embarcação – que possui mais de 300 metros de comprimento – se deslocasse para as águas próximas da Península Coreana em função da tensão crescente causada pelos testes nucleares e de mísseis que Pyongyang vem realizando, e pelas ameaças que o regime de Kim Jong-Un tem feito de atacar os Estados Unidos e seus aliados na Ásia.

Poderio para afundar o porta-aviões americano

Segundo a Reuters, os Estados Unidos não especificaram onde exatamente a armada americana se encontra. Tudo o que se sabe a respeito do deslocamento dos navios é o que foi dito neste sábado (22) pelo vice-presidente americano Mike Pence, que afirmou que a esquadra chegaria à Península Coreana "dentro de dias".

Em face dessa informação, Pyongyang emitiu um comunicado através do Rodong Sinmun, o jornal do Partido dos Trabalhadores do Norte controlado pelo governo de Kim Jong-Un, onde foi publicada a seguinte ameaça: "Nossas forças revolucionárias estão prontas para combater um porta-aviões nuclear com um único ataque".

Publicidade

Adicionalmente, o jornal comparou o USS Carl Vinson a um "animal grosseiro", e afirmou que um ataque da magnitude pretendida serviria como "um exemplo real para mostrar a força de nossos militares".

Prisão de cidadão dos Estados Unidos

Ainda segundo a agência Reuters, neste sábado (22) a #Coreia do Norte prendeu o coreano-americano Tony Kim, de 50 anos de idade – fato que piora ainda mais as tensões entre os Estados Unidos e o país asiático.

Kim estava ensinando contabilidade na Universidade de Ciência e Tecnologia de Pyongyang (PUST) há um mês, e sua detenção eleva para três o número de cidadãos americanos detidos pelo regime ditatorial controlado por Kim Jong-Un. #EUA