Segundo a BBC, o vice-ministro das Relações Exteriores da #Coreia do Norte, Han Song-Ryol, disse que o país está preparado para a guerra caso “os #EUA sejam imprudentes o bastante para usar meios militares”. Ainda disse que a Coreia irá “realizar mais testes de mísseis semanalmente, mensalmente e anualmente”.

Estas revelações ocorreram depois que o vice-presidente norte-americano, Mike Pence, alertou que a “era da paciência estratégica acabou”.

As tensões entre os dois países foram fortemente evidenciadas depois que Pyongyang lançou um míssil na manhã de domingo. O teste apesar de falhar foi considerado uma afronta. O míssil explodiu quatro ou cinco segundos depois de ter sido lançado de uma cidade portuária oriental.

Publicidade
Publicidade

Um oficial sul-coreano disse que a ação ocorreu em Sinpo, cidade portuária no leste da Coreia do Norte. Este foi o local do teste no início do mês em que o projétil caiu no Mar do Japão, também conhecido como Mar do Leste.

Os norte-coreanos usam o estaleiro Sinpo para sua atividade submarina, e os satélites dos EUA observaram aumento de atividade em abril, disse as autoridades norte-americanas no momento do teste anterior.

Os oficiais de inteligência sul-coreanos e norte-americanos estão tentando determinar que tipo de míssil foi usado no domingo, mas um relatório inicial disse que poderia ser um míssil de médio alcance, de acordo com um assessor de política externa da Casa Branca.

Mike Pence, vice-presidente americano, fez uma visita sem aviso prévio à fronteira entre a Coreia do Sul e do Norte na segunda feira, sugerindo que os EUA iriam tomar medias extremas forçando Pyongyang a acabar com seu programa de armas nucleares.

Publicidade

Segundo Pence, os EUA querem que a “Coreia do Norte abandone esta imprudência de desenvolvimento de armas nucleares, e também seu uso contínuo de testes de mísseis balísticos é inaceitável”.

Estes comentários vieram após o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, estar na fronteira dos dois países no mês passado afirmando que ação militar preventiva estava pronta para ser praticada.

Pence pediu à China, que há muito tempo é considerada uma aliada estratégica da Coreia do Norte, usar suas alavancas para persuadir o Estado Isolacionista a desistir de suas armas nucleares.

Em Washington, o presidente Trump foi questionado se tinha alguma mensagem para o líder norte-coreano Kim Jong-Un, ele respondeu: “Tem que se comportar”.

Em uma conferência de imprensa na ONU nesta segunda feira, o representante norte-coreano, Kim In-Ryong, criticou os recentes ataques de mísseis dos EUA na Síria, contra uma base militar após suspeita de ataque químico. Disse que os EUA estavam “perturbando a paz e a estabilidade globais e insistindo em uma lógica gangster”.

Kim Jong-Un supervisionou três testes nucleares e uma série de mísseis desde que assumiu o controle do país, após a morte do seu pai, Kim Jong-Il, em 2011. #Guerra