Milhões e milhões de pessoas ao redor do mundo consideram que a segurança global se encontra seriamente ameaçada com a ascensão do republicano #Donald Trump à Casa Branca como presidente dos Estados Unidos. Presidente este que, inclusive há poucos dias, deixou os especialistas em diplomacia internacional e assuntos de estratégia militar surpresos com a autorização dos disparos de 59 mísseis norte-americanos contra uma base aérea da Síria, fazendo com que houvesse, segundo os mesmos, o escalonamento da violência na região. Paralelamente, o presidente dos #EUA parece mirar um outro alvo em potencial para receber os “castigos do Tio Sam”, que é a fechada Coréia do Norte.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, a pergunta que fica no ar é se esse país asiático tem chance de se tornar um Vietnã moderno para os Estados Unidos.

No que depender das autoridades governamentais e militares norte-coreanas, tudo indica que sim, pois um comunicado oficial veiculado no jornal “Rodong-Sinmun” daquele país, é uma questão de honra que as forças armadas da Coréia do Norte possam "esmagar completamente" o contingente das tropas enviadas por Washington, não só dos militares dos EUA baseados na vizinha Coreia do Sul, mas inclusive os que estão “protegidos” no próprio território norte-americano.

O que para muitos não passa de uma bravata descabida de Kim Jong-um, o jovem líder asiático parece acreditar piamente que pode causar sérios danos aos americanos, caso estes resolvam atacar a #Coreia do Norte.

Publicidade

Vale frisar que o anúncio oficial citado acima foi liberado em conjunto à continuidade dos testes balísticos de mísseis perpetrados pela Coréia do Norte no seu território e adjacências, como perto da vizinha Coreia do Sul, águas do Mar do Japão e até da poderosa China.

O comunicado, não se sabe se será posto em prática de fato, mas que o seu teor é extremamente forte, disso ninguém tem dúvida, uma vez que os norte-coreanos escreveram: “a nossa posição é a seguinte: se os EUA tentarem fazer qualquer coisa, serão, sem qualquer hesitação, esmagados completamente”.

O Rodong-Sinmun homologa como justificável a estratégia militar da Coreia do Norte de atacar primeiro o inimigo e chegam a ser ufanistas dizendo que para os Estados Unidos sofrerem severas baixas, basta que eles (norte-coreanos) apertem um botão para que a América se transforme em pó, até mesmo porque, na região da Península Coreana, jamais uma nação irresponsável quanto aos seus atos provocativos, deverá deixar de morrer, reforça o Comitê Central do Partido dos Trabalhadores da Coreia.

As cenas dos próximos capítulos de uma guerra em potencial que pode mergulhar a humanidade em densas trevas estão sendo aguardadas ansiosamente e com temor, principalmente por todos os cidadãos de bem do planeta, que preservam e amam a vida.