A #Coreia do Norte realizou no último sábado (29/04), mais um teste com míssil nuclear. Algumas horas após o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, ter deixado o alerta para os norte-coreanos, que se o país não suspender seu programa de testes nucleares, todos irão obter resultados cataclísmicos e desastrosos.

O teste aconteceu horas antes do porta-aviões norte-americano "USS Carl Vinson" e da armada que o acompanha chegar à península das Coreias, onde foram iniciados exercícios militares juntamente com a Coreia do Sul, segundo a agência Reuters. O teste em si, não teve resultados positivos, segundo autoridades dos Estados Unidos e da Coreia do Sul, que afirmaram ser o quarto fracasso de Kim Jong-un em relação à testes envolvendo mísseis nucleares desde março, e que, o míssil de médio alcance, KN-17, provavelmente tenha falhado alguns instantes antes de decolar.

Publicidade
Publicidade

Tillerson ainda afirmou na última sexta-feira, 28/04, que estão sendo analisadas toda e qualquer probabilidade de intervenção, inclusive uma ação militar.

Japão e Coreia do Sul estão apreensivos, pois se trata de ameaça real de um ataque nuclear contra Tóquio e Seul, seguindo este raciocínio, Tillerson ainda afirmou que, a Coreia do Norte pode estar há pouco de desenvolver a eficácia necessária para atacar os #EUA e países aliados, e concluiu — "Se não nos anteciparmos, e não repreendermos essas forças que não compactuam com os pensamentos comuns com o restante do mundo, e levarmos à sério, assuntos de grande importância em relação a segurança de toda a humanidade, as consequências serão devastadoras".

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que, os testes nucleares feitos por Kim Jong-un são uma afronta, não só ao mundo, mas também a China, aliada comercial dos norte-coreanos.

Publicidade

Trump ainda disse em seu Twitter que a Coreia do Norte, passou por cima da China e seu respeitável presidente, lançando um míssil, mesmo sem ter sucesso.

Wang Yi, ministro das Relações Exteriores da China, afirmou que o poder para suspender os testes nucleares na península das Coreias não cabe somente a China, assumiu em nota diplomática.

Nos últimos anos, a Coreia do Norte tem realizado vários testes com mísseis nucleares, incluindo os de médio alcance, e os disparados a partir de submarinos, e tudo indica que estão desenvolvendo um míssil intercontinental, capaz de alcançar os EUA.

Japão protesta

Shinzo Abe, primeiro-ministro japonês, afirmou que os testes feitos pelo ditador norte-coreano, são uma grave ameaça a ordem mundial, e diz que o Japão continuará observando o comportamento da China, em relação aos fatos ocorridos.

Coreia mantém ameaças

Representantes do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte relataram para o jornal oficial do governo, Rodong Sinmun, que a invasão do porta-aviões a península das Coreias, se trata de um ato inconsequente, realizado por pessoas sedentas por #Guerra, e que tem o objetivo de iniciar um conflito nuclear cataclísmico.