O clima de tensão na península coreana parece só ter começado com o anúncio de Donald Trump aproximar-se da Coreia do norte com o porta-aviões USS Carl Vinson. Nesta sexta-feira (14), o exército da Coreia do Norte mandou um recado às forças armadas norte-americanas ameaçando os Estados Unidos caso o seu porta-aviões ataque o país. Os Estados Unidos se aproxima da Coreia do Norte após o anúncio de que o país faria o seu sexto teste com armas nucleares sem a supervisão de órgãos internacionais.

O governo da Coreia do norte é conhecido por sua ditadura implacável e vive em um regime completamente isolado do restante do mundo.

Publicidade
Publicidade

De forma ofensiva, um oficial do exército norte-coreano disse a uma agência de notícias que o país está preparado para ‘uma ação mais dura’ contra os EUA, atacando também as forças navais do país de forma ‘impiedosa’. O soldado ainda disse que ninguém sobreviverá, caso os Estados Unidos ataquem o território da Coreia do Norte.

A agência de notícias KCNA da Coreia do Norte emitiu o comunicado oficial logo após o ataque dos Estados Unidos contra a Síria, e a nota ainda disse que Donald Trump está agindo através de ‘chantagens’ em um ‘caminho de ameaças’. E o país ainda vai além em suas ameaças a soberania dos Estados Unidos. O país norte-americano possui milhares de soldados na Coreia do Sul, vizinha do país que está em conflito com os Estados Unidos. No mesmo comunicado divulgado pela agência de notícias, as tropas norte-coreanas fazem ameaças a todos os soldados americanos em território sul-coreano, dizendo que eles serão mortos em questão de minutos.

Publicidade

O ministro chinês de Relações Exteriores, Wang Yi, um dos poucos regimes que apoiam a Coreia do Norte, disse em um comunicado à imprensa que a tensão no país vizinho preocupa a China, que acredita que qualquer ameaça dos Estados Unidos podem desencadear em um conflito entre os dois países.

Donald Trump, o presidente dos Estados Unidos, continua conciso na sua decisão em ameaçar o território norte-coreano, dizendo que o país é um problema que será atendido por ele, dando a entender que a Coreia do Norte pode sofrer um ataque dos EUA. Na mesma semana que os EUA atacou a Síria, um míssil também foi disparado contra o Afeganistão, matando diversos jihadistas. Em uma reunião na casa Branca, ao ser especulado sobre o regime de Pyongyang, Trump disse que impedirá o país de criar um míssil nuclear capaz de atingir os EUA. #Guerra