Justin Ross Harris, de 33 anos, esteve em tribunal, na Geórgia, acusado pela morte do seu filho, um bebê de apenas 22 meses de idade. O homem saiu durante a manhã, para deixar Cooper no berçário, mas deixou o menino no carro. Foi trabalhar e quando regressou ao carro, sete horas depois, o bebê estava morto, depois de o carro ter ficado sob o "sol ardente" durante todo esse tempo. Porém, no tribunal, o caso provou ter sido bem mais do que um esquecimento e este homem foi condenado a prisão perpétua.

Os pormenores revelados em tribunal são trágicos e o que parecia ser um acidente, provou ser ainda mais grave do que isso. O caso começou com a morte do bebê, Cooper, que ficou largado na cadeirinha do carro durante o expediente de trabalho do seu #Pai.

Publicidade
Publicidade

No entanto, este pai poderia não ter se esquecido. Algumas testemunhas contaram sobre o desespero deste homem, quando viu o bebê morto no carro e os esforços feitos para o salvarem.

No entanto, já no tribunal, muito mais ficou revelado sobre a vida deste homem, que tinha uma vida dupla. Enquanto seu bebê estava morrendo de calor no carro, ele trocou mensagens íntimas com seis mulheres. Ele estava traindo sua esposa Leanna há muito tempo e teria já falado para uma de suas amantes que só não deixava a esposa por causa do bebê. A outras mulheres, ele teria mentido sobre a sua idade e sobre ser casado, negando ter uma família.

Todas estas revelações levantaram as suspeitas sobre uma morte, que poderia ter sido bem pensada por este homem, para que se parecesse com um acidente e um esquecimento.

Publicidade

Durante esse dia, as temperaturas dentro do carro teriam chegado aos 51ºC, uma temperatura que teria provocado uma morte lenta e dolorosa para o pequeno Cooper. Em um momento, durante a hora do almoço, foi revelado que Justin foi ao carro, para deixar algumas lâmpadas no banco da frente. Ele afirma que não viu Cooper, na parte de trás, enquanto fechava a porta e se afastava.

Antes de deixar o trabalho, ele enviou uma mensagem à esposa, perguntando se ela já tinha pegado "o meu amigo" no berçário, se referindo ao bebê. Depois disso, ele saiu do trabalho e dirigiu até ao shopping. Só no parque de estacionamento é que ele teria descoberto a presença do menino, reagindo em choque, de acordo com as testemunhas.

No entanto, na primeira vez que falou com a polícia, ele falo: "Eu acho que eu esqueci, mas não houve intenção maliciosa", contou o homem, o que pareceu estranho, porque ninguém havia sugerido que existisse malícia.

Publicidade

Porém, as coisas se desvendaram rapidamente para Justin. A polícia descobriu que ele estava vivendo uma vida dupla. Enquanto seu filho estava morrendo em seu carro, Justin passou o dia enviando mensagens sexuais e fotos explícitas para seis mulheres. Uma delas era menor de idade. Anteriormente, Justin também tinha visitado prostitutas. Uma mensagem enviada a uma mulher, minutos antes de trancar o filho no carro, dizia: "Amo meu filho e tudo, mas ambos precisamos escapar".

Cinco dias antes de ele "esquecer" Cooper no carro, Justin tinha assistido um vídeo de um veterinário gastando tempo em um carro quente para ilustrar o perigo para os animais.

Justin foi preso e acusado do assassinato de seu filho. Antes mesmo do julgamento, Leanna se divorciou do marido, dizendo que ele havia "destruído sua vida", mas que sempre foi "um pai bondoso e amoroso".

#Bebê