Com as recentes mortes de inocentes sírios vitimadas por armas químicas, o presidente americano Donald Trump tem afirmado que mudou sua posição sobre a região e diz que é hora de alguém frear os ataques do regime de Bashar al-Assad.

A Rússia apoia totalmente o diretor Sírio e tem usado seu poder de veto no Conselho de Segurança da ONU para evitar qualquer retaliação ao ditador.

O presidente russo Vladimir Putin não parece mudar de postura, o que tem elevado as tensões no Oriente Médio, inclusive com um possível conflito armado.

Para piorar, o presidente russo enviou o navio de #Guerra dotado de mísseis à Síria, depois que o líder norte-americano lançou na noite de quinta (6), 59 mísseis na direção do aeroporto de onde Bashar al-Assad lançou um ataque de gás sarin contra seu próprio povo.

Publicidade
Publicidade

Segundo o jornal The Mirror, um submarino nuclear britânico está patrulhando o Mediterrâneo e as forças da OTAN estavam em alerta máximo em toda a região.

O primeiro-ministro da Rússia, Dimitry Medvedev, afirmou que o lançamento de de mísseis dos EUA era ilegal e alertou que Trump está "a um passo de distância dos conflitos militares com a Rússia".

Mas o presidente dos Estados Unidos insistiu que era hora de o regime de Assad ser controlado por seus ataques bárbaros contra sírios inocentes.

Uma intervenção direta dos EUA era rejeitada até poucos dias atrás pelo atual governo. Isso mostra que houve uma guinada completa na política de Washington com relação à Guerra Civil da Síria. A situação, por sua vez, amplia consideravelmente um canal de conflito com Moscou, como dito acima, o principal aliado do regime ditatorial Sírio.

Publicidade

Gás Sarin

O lançamento de gás Sarin na cidade de Khan Sheikhoun, na Síria, acabou matando 86 civis, onde 30 eram crianças completamente indefesas e também entre as vítimas estão 20 mulheres.

Trump disse em reunião dos membros do Conselho de Segurança que Assad, ‘sufocou a vida’ de muitas pessoas, em alusão como o gás reage com o corpo das vítimas, deixando-as sem ar. O presidente ainda disse que a morte das vítimas foi algo completamente brutal, onde pessoas inocentes morreram de forma lenta e cruel, inclusive bebês tão pequenos ainda.

O presidente continua falando sobre a justificativa da liberação de seu ataque contra a Síria, dizendo que o ataque que ele ordenou foi diretamente contra a base militar síria que realizou o ataque com o gás mortal. Para Trump, Assad falhou em anos que o país não conseguiu combater o terrorismo na Síria. Parece que o presidente está mesmo disposto a travar uma guerra civil no local, pois no final de sua fala, Donald Trump fala que o presidente da Síria é responsável pela crise de refugiados e ainda chama todos os países aliados dos EUA para lutarem contra o país no que ele chamou de ‘derramamento de sangue na Síria’. #Exército