Na noite desta última quarta-feira (19), a modelo italiana Gessica Notaro Soutien, de 27 anos, decidiu mostrar seu rosto pela primeira vez depois da tragédia que sofreu. Ela foi agredida de maneira cruel pelo ex-companheiro Jorge Edson Tavares, enquanto os dois ainda mantinham um relacionamento. Ele não só bateu nela, como jogou ácido em seu rosto, para que ela não pudesse se olhar mais no espelho. Gessica, que sempre foi dona de uma beleza impressionante e de um corpo escultural, teve que se ver reformulando a sua vida para passar por uma infinidade de cirurgias plásticas e reconstruir o seu rosto, que ficou desfigurado.

Ela chegou a correr risco de morte, depois da violência gratuita de seu ex-namorado, que não aceitava a separação dos dois.

Publicidade
Publicidade

Gessica foi uma das finalistas do concurso Miss Itália e sempre impressionou pela beleza e generosidade. Agora, ela deverá recomeçar do zero, depois dos inúmeros gastos financeiros que teve em internação e isolamento hospitalar por três meses, e pelas duas cirurgias plásticas extensas no rosto.

Desde a tragédia ela já tinha dado entrevistas com o rosto tampado, devido à recuperação pela qual passava. Agora, pela primeira vez tomou coragem não só para mostrar o rosto, mas para denunciar e ajudar outras mulheres que viveram o mesmo drama. A entrevista foi dada no programa “Costanzo Show”, para o apresentador Maurizio Costanzo, e causou uma comoção no país, que torcia pela recuperação completa da modelo, que passava por um dos momentos mais horripilantes de sua vida.

O casal aparentemente vivia bem depois de se conhecer em um aquário de golfinhos, onde trabalhava.

Publicidade

Tudo começou a degringolar em agosto do último ano, quando a jovem decidiu romper com o namorado, devido a brigas constantes do casal. Assim que terminaram, Jorge começou a persegui-la, com ataques constantes de ciúmes, e realizar diversas agressões físicas e psicológicas. Ele chegou a fingir que teria se suicidado, para poder colocar a culpa na modelo, e ainda ameaçá-la constantemente de morte. Gessica começou a se acostumar com as agressões cotidianas e tentava se afastar ao máximo dele, mas o pior ainda estava por acontecer.

Um determinado dia, no fim do ano passado, o homem teria aproveitado a janela aberta de um carro onde ela estava e teria jogado ácido no rosto dela, dizendo que era para nenhuma outra pessoa olhar mais para ela. No pensamento dele, com o rosto desfigurado, ninguém iria querer ter um relacionamento com Gessica e a jovem ‘seria dele’ para sempre.

Depois do #Crime bárbaro, ele foi preso preventivamente. Jorge nega ter agredido a modelo e ainda aguarda decisão judicial que determinará a sua pena.

Publicidade

Durante a entrevista, ela disse no programa de televisão que nada parecido com o que viveu pode ser amor e que nenhuma mulher deve aceitar qualquer tipo de violência de seu companheiro.