Parece que não está fácil para ninguém, nem mesmo para quem mora do outro lado do mundo. Se as relações humanas não andam de mãos dadas na vida real, algumas pessoas buscam alternativas para apertar esse laço. Foi o que aconteceu com o chinês Zheng Jiajia, de 31 anos, que criou uma boneca para chamar de sua. Até porque ele construiu uma mulher-robô para se casar e viver juntos até a morte - ou os problemas da bateria os separarem.

Pelo menos é o que o #Engenheiro chinês e especialista em inteligência artificial afirma sobre o #Casamento com a namorada eletrônica chamada de Yingying, construída por ele mesmo em 2016. A cerimônia contou com a participação de parentes e conhecidos, como sua mãe, amigos e companheiros de universidade, de acordo com o site 'Sina.com'.

Publicidade
Publicidade

A ideia de Zheng, que estava solteiro há anos, surgiu depois que a família o pressionava para que se casasse. A partir daí, ele construiu sua própria esposa. A boneca é capaz de falar por meio de uma conexão no computador, reconhecendo fotografias e objetos, porém ainda não está programada para caminhar. O namorado, claro, já trabalha nesse ponto.

Assim como qualquer casamento, o dos pombinhos chineses também não poderiam ser diferente. A cerimônia teve um super banquete, presentes e um véu vermelho cobrindo o rosto da namorada, típico das tradicionais festas da cultura oriental. Um luxo só! No vídeo, ele carrega no colo sua namorada, cruzando uma ponte rodeada de flores.

Legislação da China

De acordo com a legislação chinesa, esse tipo de união não é permitido no país, uma vez que as núpcias entre humanos e computadores ainda não estão escritos nas leis.

Publicidade

Por isso, o casamento não tem valor legal. A relação do casal começou há pelo menos dois meses, tempo em que ela ficou pronta.

O jovem chinês, que abriu sua própria empresa em 2014, já trabalhou por muitos anos na multinacional tecnológica Huawei. O engenheiro contou que está na expectativa para viver por muitos anos com Yingying - ou até que a bateria da robô dure.

#China