As relações entre os EUA de Donald Trump e a Coreia do Norte de Kim Jong-un parecem estar alcançando o ponto máximo de deterioração, o que pode levar a uma guerra nuclear sem precedentes entre esses os dois países, arrastando no vácuo do conflito, outras nações e o que é pior, ceifando a vida de milhares, se não milhões de pessoas inocentes. Tanto é assim que o escritório russo da Sputnik, agência de notícias internacional, com filial na Coreia do Sul entrevistou a Vladimir Khrustalev, que é um especialista de renome da fundação chamada “LifeBoat Foundation”, quando a pauta da discussão é o programa do governo da #Coreia do Norte em relação aos seus mísseis com ogivas nucleares.

Publicidade
Publicidade

Não é à toa que os norte-coreanos provocaram uma impressão bastante forte durante o desfile bélico dos seus militares na principal praça da capital daquele país, Pyongyang. Tudo isso porque os equipamentos de guerra responsáveis pela defesa da nação traziam muitas novidades e avanços tecnológicos, até então desconhecidos para muitos.

A 1ª das grandes novidades em equipamento militar da Coreia do Norte de acordo com Khrustalev, tratou-se de uma versão móvel para regiões costeiras, responsável por lançar novas versões de mísseis antinavios. Foi comprovada a existência dessa arma específica desde o ano de 2015, consolidando a certeza dos especialistas militares de que os norte-coreanos estão aptos para defender a região litorânea da nação, reiterou a autoridade russa na entrevista.

Publicidade

Já a 2ª novidade armamentista é um míssil balístico que tem a forma parecida com um Scud da época do império da União Soviética; entretanto, o artefato norte-coreano é ainda mais moderno, pois pode se observar que junto a localização da ogiva no míssil, há a presença de estruturas aerodinâmicas, dando a entender que a ogiva poderá ser guiada ou corrigir o seu caminho de destruição quando se encontrar em queda.

Independente de ser guiada ou não, isso mostra que a Coreia do Norte está decididamente voltada a elevar a qualidade do seu artefato bélico para poder superar com precisão cirúrgica o aparato antiáreo do inimigo, seja ele quem for. Outro detalhe que impressiona é que o lançador de mísseis está estruturado em um chassi de lagartas, o que dá praticidade ao equipamento, barateia o custo de produção e elimina a dependência do país asiático em ter de importar componentes para a construção das armas, destacou Khrustalev.

Veja como foi a inédita parada militar de homenagem a Kim Il-sung

Mas as surpresas durante a parada militar não pararam por aí, uma vez que surge um míssil com geometria na região de localização da ogiva, muito semelhante com o mortífero KN-08; entretanto, com um suporte de tração mais curto do que esse último.

Publicidade

Enfim, as imagens e fotos do encontro militar precisam ser melhores analisadas conforme leitura de Vladimir Khrustalev, mas pelo que tudo indica, os novos mísseis e suas adaptações estão acomodados sobre mecanismos de transportes semelhantes aos que eram utilizados para carregar os mísseis soviéticos SS-25 móveis em adição as ultra-modernas alterações chinesas dos mísseis DF-31 e DF-41.

Enfim, a situação é realmente muito complicada, já que existem provas mais do que suficientes de que os militares norte-coreanos estão promovendo estudos e projetos nos seus mísseis, os quais poderão alcançar facilmente as áreas geográficas do Havaí, Guam ou ainda o continente dos #EUA. #Donald Trump