Um fato muito curioso aconteceu com o aposentado britânico Ron Adams, de 84 anos. Em 2002, ele recebeu a péssima notícia de que tinha um grave câncer no pulmão, e os médicos lhe deram apenas 3 meses de vida. Porém, o diagnóstico estava errado e ele está vivo até hoje, 15 anos após o parecer médico.

Tudo começou quando Ron estava com uma tosse muito persistente, e foi levado a um hospital para fazer exames. Foi solicitada uma radiografia do tórax e ao ver o resultado do exame, a equipe médica o chamou para uma conversa franca: "Eles olharam a minha radiografia e pediram para falar com algum familiar. Chamei meu filho mais velho para o consultório, e lá fomos informados que eu tinha um câncer terminal", disse o aposentado numa entrevista ao jornal Daily Mail.

Publicidade
Publicidade

Ron estranhou o diagnóstico tão negativo, já que não tinha sentido nenhum sintoma. Mas o médicos foram enfáticos:

"Perguntei quanto tempo de vida ainda me restava, e eles disseram que eram apenas mais 3 meses."

O prognóstico negativo dos médicos o levaram a fazer uma verdadeira farra com suas economias, coisa que jamais pensaria fazer em outras circunstâncias.Acreditando estar prestes a morrer, Ron decidiu curtir a vida adoidado: pegou £ 50.000 que tinha guardado na poupança durante anos e saiu comprando tudo que tinha vontade.

Sua primeira aquisição foi um Mercedes CLK que acabou apelidando de "o carro do câncer", que lhe custou £ 20.000, depois gastou £ 3.650 em sete carpas (peixes ornamentais). Sua compra mais extravagante foi uma coleção com 507 mini réplicas de carros clássicos, que ele nem se recorda mais quanto lhe custou.

Publicidade

Além dos presentes para si mesmo, fez uma viajem para a Espanha com a esposa.

Seis meses após receber a sentença de morte dada pelos médicos, Ron continuava vivo, mas sentia desconfortos respiratórios. Novamente procurou ajuda médica, e a segunda avaliação foi bem diferente: "Desta vez, me disseram que o câncer era tratável e estava se desenvolvendo lentamente."

Ron foi submetido a sessões de radioterapia, e o crescimento do tumor cessou. Hoje, 15 anos depois de ter visto a more de perto, ele está vivo e saudável, e garante não ter raiva dos médicos que fizeram a avaliação errada. Segundo ele, toda essa confusão acabou sendo positiva, pois o fez ver a vida com outros olhos e sempre buscar viver bons momentos: "Todo mundo comete erros, e esse até que me fez feliz." #Polêmica #Curiosidades #Saúde