Na tarde de ontem (4), uma mulher com dores de #parto foi resgatada no deserto de Nova Esperança, em Lambayeque, no Peru, por um helicóptero das Forças Armadas e deu à luz a um bebê em pleno voo.

A mãe, Maria Josefa Pingo Sanchez, de 20 anos, estava com dores e apresentando contrações quando foi auxiliada pela Força Aérea do #Peru. Os familiares tinham alertado as autoridades, mas do helicóptero não havia nenhuma maneira de localizarem o ponto exato.

Então eles pediram para que uma fogueira fosse feita para que eles pudessem ver a fonte da fumaça e realizar o resgate. "Entramos em contato com um parente que nos deu informações vagas para chegar ao local.

Publicidade
Publicidade

Isso foi no meio do deserto, onde não havia nenhuma referência. Para localizar a família, pedimos aos moradores que acendecem um pneu para que a fumaça nos guiasse em direção a eles. O que foi feito prontamente e então o helicóptero localizou a área", disse coronel FAP, Javier Tryon Carboné.

Dessa forma, María Josefa Sanchez Pingo foi localizada, recebeu assistência e foi levada para um hospital. No entanto, no caminho, e em pleno voo, a mãe começou o trabalho de trabalho e deu à luz um bebê. Mãe e filha foram estabilizadas e internadas no Hospital Regional de Lambayeque.

Em meio à emergência pelas chuvas, deslizamentos de terra e inundações, um bebê nasceu graças ao exército que resgatou sua mãe, enquanto estava sendo levado para Chiclayo.

Nas últimas 72 horas, os departamentos de Lambayeque, Loreto e Piura, ambos no noroeste do país, voltaram a registrar chuvas volumosas, que intensificam o rastro de destruição e o aumento do número de desabrigados.

Publicidade

Na região de Lambayeque, 22 detentos aproveitaram a chuva para fugir. Na cidade de Trujillo, as chuvas inundaram um cemitério, com a água transportando ossos para as ruas.

Além dos transtornos causados pelas chuvas e inundações, em Ica já foram detectados sete casos de Zika e 274 casos de dengue. As autoridades de saúde estão trabalhando em várias zonas afetadas para combater a propagação do vírus Zika, e até o momento já são mais de 4.000 casas fumegadas.

#Tragédia