Não é só no Brasil que as histórias de assédio moral e sexual no trabalho viralizam. Nos Estados Unidos uma jovem de 18 anos, resolveu denunciar seu chefe direto no restaurante em que trabalhava e teve de enfrentar uma humilhação coletiva de outros funcionários, que ficaram do lado do patrão.

A vítima contou toda a situação nas redes sociais e conseguiu o apoio de muita gente para se reerguer moralmente.

A história aconteceu com Emily Houser, moradora do estado da Pensilvânia. Segundo ela, depois de comunicar à gerência geral o que vinha sendo assediada, ela não só não conseguiu uma apuração isenta dos graves fatos relatados como foi alvo de chacota organizada pelo “time” da empresa.

Publicidade
Publicidade

Isso mesmo. Até uma festa foi organizada por outros empregados da unidade com a finalidade de espezinhá-la.

Conforme relatou em entrevista ao site BuzzFeed News, a moça trabalhava no estabelecimento, localizado na cidade de Whitehall, desde que tinha 16 anos. Logo que entrou, o gerente Josh Davidson, que tinha 24 na época, começou a demostrar seu interesse por ela. Emily sempre deixou claro que não tinha nenhum interesse amoroso por ele. Mesmo assim, o patrão a assediou por dois anos.

Emily conta que o chefe a força a ir em encontros com ele, dizendo que eram profissionais. O homem também batia em sua porta sem convite e dizia que estava lá fora e que ela precisava sair para resolver assuntos de trabalho com ele. Tudo pretexto para se aproximar mais.

Emily também era cercada pela oferta de presentes e até de dinheiro como estratégia do chefe em convencê-la a se relacionar com ele.

Publicidade

A moça conta que recusou todos as ofertas.

No entanto, quando ela completou a maioridade, em abril de 2016, Davidson foi até o colégio dela e a pediu em namoro, oferecendo-lhe dinheiro. Mais uma vez ela lhe devolveu o dinheiro, dizendo que não queria nada com ele. Nesse momento, o rapaz ficou furioso. Desde então, se tornou verbalmente e fisicamente abusivo com a moça durante o expediente de trabalho.

Ela ignorou as atitudes do chefe e denunciou à empresa tudo o que havia passado nos últimos anos. O assediador foi transferido para outra unidade, mas teve uma despedida montada por vários dos funcionários como uma maneira de humilhar Emily. O tema da festa já dizia tudo ‘Que se f... Emily Houser’.

Até mesmo o gerente geral da unidade compareceu e apoiou a festa. Alguém fotografou o bolo e publicou a foto no Instagram com a hashtag ‘#timejosh’, muitas vezes compartilhada, inclusive com frases chamando a moça de vadia.

A vítima não falou mais com os colegas de trabalho desde a saída da Davidson, mas revela que ficou chocada ao saber que tinha virado tema de ódio e da festa.

Publicidade

Depois que a história viralizou, a maioria dos funcionários que publicaram as ofensas excluiu as contas na rede social.

Para a imprensa a rede de restaurantes disse que todos os funcionários envolvidos no assédio e na festa de humilhação foram desligados, inclusive Davidson. Segundo nota, a empresa estimula um ambiente de trabalho caloroso e harmonioso, para dar aos consumidores o melhor atendimento.

Emily conta ter recebido muito apoio na internet, o que a ajudou a encarar a situação. Disse que em nenhum momento visou se promover e que quer que as pessoas envolvidas entendam que este tipo de coisa pode ferir muito as pessoas, a ponto inclusive de elas pensarem em suicídio. #Crime #Investigação Criminal