A #Venezuela acordou, nesta quinta-feira (20), com a notícia de que a montadora de automóveis #general motors suspendeu operações no país por alegar confisco do governo. Autoridades do país ocuparam uma linha de produção em Valencia, impedindo que as atividades fossem seguidas normalmente, além de terem retirado veículos ilegalmente de instalações da empresa.

A empresa diz que irá tomar as ações legais dentro e fora do país para garantir seus direitos. A GM venezuelana foi criada em 1948, conta com cerca de 2,7 mil funcionários, 79 concessionarias no país e há 35 anos é líder de mercado. A empresa garante que fará "pagamentos de separação" aos funcionários afetados.

Publicidade
Publicidade

Outra empresa norte-americana, a Clorox, também teve problemas com o governo e a apreensão de ativos em 2014, o que a fez a empresa sair do país tempos depois.

Mãe de Todas as Marchas

A Venezuela tem passado por dias difíceis. Nesta quarta-feira (19), os venezuelanos foram às ruas protestar contra o governo do presidente #Nicolás Maduro. Esse movimento ficou conhecido como "Mãe de Todas as Marchas".

O protesto deixou três mortos, dois estudantes - Carlos José Baron, de 17 anos, e Paola Ramiréz Goméz, de 23 anos - e um membro da Guarda Nacional. Cerca de 500 pessoas foram detidas, além de muitos feridos.

O ex-candidato à Presidência do país Henrique Capriles convocou o povo venezuelano para mais uma mobilização nesta quinta-feira. De acordo com ele, é para todos aqueles que não se manifestaram e para os que já se manifestaram que se encontrem no mesmo local e hora.

Publicidade

Eles partirão de 26 pontos de Caracas até a Defensoria do Povo.

A noite desta quarta-feira foi marcada por muita violência. A Guarda Nacional Venezuelana (GNB) atacou a população com bombas de gás lacrimogênio. Relatos dizem que milicianos armados pelo governo, chamados de colectivos, dispararam contra civis na praça.

Um vídeo do protesto está circulando o mundo. Uma mulher venezuelana com uma bandeira do país enfrenta um veículo blindado. O ato é conhecido como “rinoceronte”, onde se impede o carro de passar.

Isso lembra um caso famoso de um homem que ficou de pé na frente de vários tanques de guerra em Tiananmén, na China, em 1989, em um movimento no dia 5 de julho, na Praça da Paz Celestial. Ele ficou conhecido como o Homem dos Tanques.

Assista ao vídeo do protesto da venezuelana:

Aviso dos Estados Unidos

Os Estados Unidos advertiram os responsáveis pela repressão aos protestos dos últimos dias. O governo norte-americano disse que eles prestarão contas individualmente por minarem práticas democráticas e ferirem os direitos humanos.

Maduro diz que Estados Unidos são governados por extremistas, e que isso começou com a chegada de Donald Trump ao poder.