Recentemente houve uma polêmica envolvendo a #Santa Ceia, a organização da festa DiverCity, localizado na região sul da Itália, criou e divulgou uma versão erótica e #gay do famoso quadro da Santa Ceia.

Isso causou a maior polêmica ao redor do mundo, principalmente com os católicos.

A imagem mostra apóstolos nus, e ainda um deles está com o bumbum amostra. Jesus Cristo aparece no centro do desenho sem camisa e com tatuagem, o que gerou mais polêmica ainda.

O intuito era divulgar uma festa que aconteceria na quinta-feira santa na cidade. A imitação mostra homens interpretando Jesus e seus 12 discípulos, só que de uma maneira considerada desrespeitosa pelas outras pessoas: seminuas e nuas, beijando entre si e fazendo sexo de várias maneiras.

Publicidade
Publicidade

A unidade militar conservadora de combate e apoio do país ainda não aceitou a união civil homoafetiva. Representante do partido, Raffaele Adinolfi, declarou:

“O nosso partido se opõe a atitudes relacionadas ao homossexualismo, ao divórcio, a barriga de aluguel e ao aborto.”

Raffaele ainda disse que a imagem é sim ofensiva e que, de alternativos, eles só têm o bom gosto. Disse ainda que gostaria que os responsáveis pelo o evento cancelasse a festa em respeito as pessoas da comunidade e as suas tradições, pois o grupo LGBT exige respeito, mas nunca o concederam.

A festa, que tem como nome “Divercity Easter Edition”, usa o temo “Somos alternativos e não blasfemos”.

A organizadora da festa DiverCity, Emanuele Avagliano fez uma publicação em sua rede social para defender o evento:

“A gente sempre respeitamos a opinião alheia, mas gostaria de reafirmar que com convicção e com força que todos nós somos livres para divertimos da maneira que bem entendermos e acharmos melhor, nunca tivemos a intenção de praticar a blasfêmia, nem desrespeitar e muito menos ofender ninguém.”

Outro organizador continua:

“Mas uma vez nós estamos sendo o alvo, as pessoas querem ganhar visibilidade sobre a gente, por isso devemos nos permanecer cada vez mais forte, convido a todos a comparecer em mais uma edição da DiverCity, nessa quinta-feira, com mais fé e força do que antes, queremos nossa liberdade de expressão, nosso espaço para os jovens homossexuais e para os trans de nosso país, não podemos ficar escondidos atrás de pessoas homofóbicas."