Nesta última quinta-feira (13), imagens de um homem atrelado a um caminhão do Exército na Índia chocaram os internautas. O caso teria acontecido na segunda semana de abril, mas somente agora as imagens do abuso de poder foram parar nas redes sociais. Diante da divulgação das filmagens, a polícia indiana abriu um inquérito para poder apurar os fatos, e punir os soldados responsáveis pelo ato. Os militares teriam abordado o homem em uma vila e amarrado o mesmo na frente de um jipe das forças armadas. O objetivo era criar um escudo humano para inibir que manifestantes separatistas da Caxemira jogassem pedras nos soldados. A região vive em conflito há quase trinta anos, onde grupos separatistas tentam criar um estado independente.

Publicidade
Publicidade

A maneira de resistência dos cidadãos locais é não votar nas eleições do governo central, e tentar insultar os militares com pedradas quando eles passam em rondas pela região. Dessa vez, no entanto, eles se depararam com uma cena inesperada, e tiveram que recuar. As imagens são fortes, e mostram o homem amarrado, com uma placa colada em seu peito. No texto os dizeres: ‘Vejam para onde vão as pedras que vocês lançam’. Segundo a vítima, identificada como o tecelão Farooq Ahmad Dar, ele foi capturado e obrigado a percorrer na dianteira do caminhão por cerca de nove vilas. Durante todo o trajeto ele teria visto pessoas comuns chorando por ele, e tristes com o que estava acontecendo. De acordo com o mesmo, seus conterrâneos foram inibidos de protestar de maneira bastante cruel. Ele agora tem que enfrentar o trauma psicológico e não consegue mais dormir ou sair de casa com medo que o exército volte a persegui-lo.

Publicidade

Assista às cenas assustadoras no link a seguir:

De acordo com informações dadas pela própria vítima, ela não fazia parte de nenhum grupo separatista, pelo contrário, ele votou nas últimas eleições para o governo central. Farooq ainda relatou que nunca tinha participado de grupos de resistência, e que era a favor do exército. Agora assustado, ele disse que apoiará a causa da população, que tem o direito de se manifestar diante da truculência dos militares. O chefe geral da polícia disse que o crime cometido pelos soldados será investigado, e os homens envolvidos serão punidos de maneira drástica. Segundo o mesmo houve abuso de poder contra uma pessoa comum. As repercussões na internet foram extremamente negativas para a imagem do governo e causou revolta nos internautas que disseram que a situação é absurda. A família do homem pede por justiça. #Mundo