Um ex-soldador foi condenado a sete meses de prisão na sexta-feira (21), no West Kowloon Magistrates 'Courts, por ter relações sexuais com um cão, e agredir um repórter. O homem foi identificado como Chung Lin-fai, de 58 anos, se declarou culpado anteriormente de uma acusação de bestialidade. Ele também admitiu ter agredido um repórter na entrada do tribunal no mês de fevereiro.

Segundo informações do portal de notícias ‘Apple Daly’, o magistrado Raymond Wong Kwok-fai, relatou que o caso era de uma natureza séria, porque o animal ficou gravemente ferido. Segundo o portal, o magistrado inicialmente estabeleceu uma sentença de nove meses depois de analisar outros condenados por abuso de #Animais receberam sentenças mais duras nos últimos anos.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, o magistrado reduziu a sua pena para seis meses, quando o acusado se declarou culpado da acusação de bestialidade. Também pegou mais um mês de prisão por ter agredido um repórter. As duas condições de prisão devem ser atendidas consecutivamente, totalizando sete meses.

O tribunal ouviu que, em 1 de fevereiro, o acusado levou um cachorro de 2 anos para perto de um córrego em Wong Lung Hang Road, Lantau, onde ele violentou o animal sexualmente. Conforme informações de uma testemunha, o cão sendo violentado sexualmente pelo acusado, horas mais tarde, o animal apareceu com várias lesões na parte inferior do corpo. Um exame feito na cadela em uma clínica veterinária detectou sêmen humano suspeito. Duas semanas atrás, Chung admitiu ter relações sexuais com o cão. Ele disse que ocasionalmente alimentou o canino nos últimos dois anos e a levou a um riacho próximo para dar-lhe um banho, mas ele nunca tinha feito sexo com o animal antes.

Publicidade

Um funcionário do grupo de bem-estar animal SPCA disse que o cão está sob o cuidado de voluntários. Seu advogado relatou que o seu cliente é um alcoólico com deficiência auditiva. Segundo o advogado, desde que o caso veio à tona, o suspeito logo perdeu o seu emprego. Em um relatório psiquiátrico apresentado ao tribunal, Chung disse que ouviu uma voz feminina dizendo-lhe para ele ter relações sexuais com o animal. Ele também disse que não se lembrava muito dos detalhes do incidente.

Chung foi cercado por jornalistas em fevereiro, quando ele apareceu no West Kowloon Magistrates 'Courts. Ele foi visto agredindo um repórter no rosto. O advogado de Chung disse que seu cliente entendeu que o repórter estava apenas fazendo seu trabalho, e esperava fazer um pedido público de desculpas ao repórter. #Crime #Casos de polícia