Infelizmente as redes sociais e a tecnologia também são usadas para o mal. Neste domingo, 16, um assassinato transmitido ao vivo, pelo Facebook, acabou tornando-se notícia em todo o planeta. A situação aconteceu na cidade de Clevelend, nos Estados Unidos, como mostra uma reportagem do portal de notícias G1. Um homem exibiu o exato momento em que mata uma pessoa desconhecida.

Publicidade

Essa parte do #Crime foi retirada do ar pelo próprio Facebook.

Publicidade

Antes do assassinato o criminoso parecia buscar alguém aleatoriamente, como mostram imagens incorporadas ao final dessa reportagem. O caso acabou ganhando repercussão internacional e ajuda a abrir um diálogo sobre o mau uso das redes sociais. Além disso, muitas pessoas assistiam às imagens e, aparentemente, nada fizeram para tentar impedir o homem insano de praticar o crime.

A polícia de Cleveland identificou o assassino como Steve Stephens. Antes de matar sua vítima, Steve diz nas imagens que já havia cometido outras mortes. Até essa manhã, no entanto, o caso ainda não havia sido atualizado e a polícia americana ainda não sabia dizer o que teria realmente acontecido, como, por exemplo, o fato da existência ou não de outros assassinatos. Matar alguém usando uma rede social para veicular o terror não é nenhuma novidade. No entanto, o que chama a atenção nesse caso é que a motivação do assassinato pareça ser simplesmente diversão, ou para atrair mais pessoas que assistissem a seu cotidiano..

Publicidade

Medida se assemelha ao que ocorre com Estado Islâmico

Grandes grupos terroristas, como o 'Estado Islâmico', fazem isso com frequência. Eles exibem os vídeos para atrair notícias sobre o grupo. Apesar da grande maioria das pessoas assistir às imagens com indignação, há quem sinta interesse de se filiar ao grupo. E é atrás dessas pessoas que o Estado Islâmico vai. Elas podem servir de "lobos solitários" e, sozinhas, causarem atentados pontuais em seus próprios países. Esse tipo de situação não consegue, no geral, ser previsto pelas autoridades.

Histórico e fuga: o destino incerto de um assassino fora de si

O homem já tinha passagem pela polícia, mas acabou não sendo encontrado até o fechamento da reportagem do G1. A pessoa assassinada por ele não teve o sexo, nome e idades reveladas pela polícia. Após efetuar o tiro, ele deixou o carro onde estava e em que fazia a transmissão ao vivo pela internet e acabou fugindo.

Veja abaixo o vídeo exibido momentos antes do homem sair atirando contra a sua vítima. A publicação não exibe o exato momento do assassinato.