Na terça-feira, 4, mais um episódio envolvendo a guerra na Síria ganhou as manchetes de todo o mundo. Um bombardeio aéreo na região de Iblib deixou vários mortos. De acordo com uma ONG sobre Direitos Humanos, 58 pessoas teriam morrido no ataque, mas esses números divergiram conforme o site que dava destaque ao ataque. Os mortos não eram militares ou terroristas, mas sim civis, atingidos por uma arma de gás tóxico. Ao final dessa reportagem, o leitor pode ver um vídeo que mostra como funciona o ataque. As imagens são consideradas fortes, mas foram exibidas amplamente em telejornais pelo mundo, inclusive, no 'Hora Um', da TV Globo.

De acordo com informações de agências internacionais, esse ataque teria sido ordenado pelo próprio ditador do país, Bashar Al-Assad.

Publicidade
Publicidade

Diversos países decidiram se pronunciar sobre o que aconteceu naquele país. Eles criticam os atos bárbaros. Ativistas aparecem em imagens com uma espécie de mangueira, que limpa o gás tóxico do corpo das pessoas. Eles estão mascarados, a fim de não absorverem a substância. Mesmo com as pessoas caídas no chão, o processo continua. Há crianças em meio ao grupo jogado no chão. O ataque do governo aconteceu em uma cidade que é dominada por rebeldes, quando os moradores estavam dormindo, ou seja, não puderam nem mesmo sair correndo dali.

Pedido de punição por parte da União Europeia

O que ainda não se sabe é como as forças de Bashar Al-Assad fizeram o ataque químico. Uma das dúvidas é sobre a qual nação pertencem os aviões que jogaram as bombas de gãs no local. Federica Mogherini, representante das Relações Exteriores da União Europeia, garantiu que o que foi visto ali é um #Crime de guerra e quem comete infrações como tais precisa se responsabilizar pelos seus atos.

Publicidade

É bom lembrar que boa parte da Síria é dominada pelo grupo terrorista Estado Islâmico.

Veja o vídeo que mostra toda a operação de resgate dos moradores da região que enfrenta uma guerra:

Na sua opinião, como esse tipo de situação deve ser evitada? Deixe o seu comentário. A sua mensagem é importante e ajuda no diálogo.