Uma adolescente de 13 anos fugiu de casa da mãe, em Napa, na Califórnia, nos Estados Unidos, e viveu uma história de terror. Depois de uma briga com a mãe, a garota saiu correndo de casa. Pelo caminho, ela foi encontrada por Timothy Lee Marble, de 50 anos. O homem é acusado de sequestrar a jovem, estuprá-la e torturá-la, gravando seu nome no corpo dela com uma Lâmina de barbear, de acordo com o jornal britânico Mirror.

O caso só foi desvendado quando o próprio agressor chamou a polícia após #menina ter fugido dele. Marble, que tem um longo histórico criminal, teria encontrada a menina em um posto de combustível. Vendo a adolescente sozinha, ele se ofereceu para ajudá-la e ofereceu carona para ela, que a garota teria aceitado.

Publicidade
Publicidade

Mais tarde, o homem teria cometido os crimes brutais, de acordo com os detalhes revelados em à polícia.

O homem teria prendido a garota a uma árvore, antes de drogá-la e estuprar. Depois, Marble teria até gravado seu nome nas pernas da menina, usando uma lâmina de barbear e uma faca para golpear sua pele, como se ela fosse sua propriedade. O homem está sendo acusado por vários abusos sexuais e também por agressões à criança.

Chamou a polícia para encontrar sua vítima

Quando terminou o ataque brutal, saiu dirigindo seu veículo, momento em que a menina, temendo por sua vida, pulou do carro em movimento. O acusado parou o veículo e chamou a garota, supostamente ameaçando matá-la se ela não respondesse. Marble acabou chamando a polícia para tentar encontrá-la.

Os detetives chegaram ao local e estavam começando a investigação, quando a menina percebeu que eram policiais e saiu do meio dos arbustos, acusando o homem por estupro.

Publicidade

Os policiais detiveram Marble, que tem numerosas acusações de atos sexuais com menores, sequestro e abuso de crianças.

A vítima foi levada para o hospital, mas ainda não fez qualquer declaração sobre o assunto, apenas que foi atacada e estuprada pelo acusado. Marble foi preso, sem direito a fiança, e vai aguardar pelo julgamento na cadeia. #Abuso Sexual #Justiça