Um menino iraquiano tinha apenas três anos quando foi sequestrado pelo #ISIS. O menino ficou com eles, longe de sua família, durante dois anos, até que foi resgatado e está agora vivendo em um campo de refugiados em Dohuk, no Curdistão iraquiano. O menino foi raptado, juntamente com sua mãe e irmã, em Sinjar, e, depois disso, sua família foi chantageada para pagarem um resgate por eles, mesmo não tendo dinheiro. O menino teria sido levado por se chamar #messi, nome que seu pai deu em homenagem ao futebolista argentino, que o grupo islâmico teria considerado como "nome infiel".

Enquanto estiveram em cativeiro, os extremistas enfurecidos haviam ordenado a mãe do menino a mudar o nome de Messi para Hassan.

Publicidade
Publicidade

O menino ficou de tal forma perturbado com esses dois anos de torturas que agora nem suporta que falem muito alto perto dele. Em vez da bola de futebol que tanto gostava, ele agora prefere uma arma de brincar, que não larga o tempo todo.

De acordo com a imprensa iraquiana, o menino apenas balança a cabeça quando lhe chamam Messi, aparentemente ainda com medo de represálias dos militantes, que desprezavam o nome do famoso jogador de futebol, que venceu cinco Bolas de Ouro.

O argentino Lionel Messi é um dos mais conhecidos futebolistas de todo o mundo e é apontado como um dos melhores de todos os tempos. Acumula milhões de fãs e seguidores e não estranha que muitas pessoas gostem de homenageá-lo, por seu talento para o futebol, mas também por sua personalidade, aparentemente mais humilde.

Publicidade

Milhares de mulheres e crianças Yazidi foram capturadas e escravizadas pelo ISIS, quando os terroristas militantes islâmicos atacaram Sinjar, em agosto de 2014. Enquanto cerca de três mil já teriam sido resgatadas, incluindo o pequeno Messi, muitos mais permanecem ainda em cativeiro. Além de todos esses que foram sequestrados, centenas de outros civis também teriam sido abatidos quando tentavam travar esses raptos.

O pequeno Messi está agora junto com a família, mas continua com o trauma de dois anos de pesadelo. Se desconhece se o verdadeiro Messi e o #Barcelona vão tentar ajudar este menino, agora que o caso está viralizando por todo o mundo. Se acontecer, não será a primeira vez. O craque é conhecido, para lá de seus gols decisivos como o que marcou no domingo, na casa do Real Madrid, para dar a vitória ao Barcelona no tempo extra, mas por ser também muito bondoso.

No ano passado, Messi aceitou conhecer Murtaza Ahmadi, um menino afegão de seis anos que encantou o mundo quando vestiu uma "camisa" de Messi, feita de um saco plástico. O jogador e o Barcelona organizaram um evento, em Doha, e o menino pôde conhecer o seu ídolo e ganhar uma camisa de verdade.

Assista ao vídeo e conheça o pequeno Messi: