Um menino de apenas treze anos, morador da cidade de Geórgia, nos Estados Unidos, acabou tendo repercussão em todo o mundo. O motivo? Ele acabou provocando o seu acidente, enquanto fazia uma transmissão em tempo real nas redes sociais. O menino estava em seu quarto, com as portas fechadas, quando tudo aconteceu. As primeiras informações da imprensa internacional é que o menino acabou se matando sem querer, ou seja, o que houve foi um simples acidente. A tragédia familiar aconteceu na segunda-feira 10. Malachi Hemphill estava, ao vivo, em seu Instagram quando tudo o aconteceu. Ele exibia uma arma, que acabou disparando sozinha e atirando nele mesmo.

Publicidade
Publicidade

Ao ouvir o barulho, a família chegou até a socorrê-lo, mas não teve jeito. Malachi foi levado para uma clínica em Atlanta, mas acabou não sobrevivendo. Em uma reportagem sobre o caso, que pode ser visto em um vídeo em inglês nessa reportagem, a mãe do menino, Shaniqua Stephens, falou sobre o caso. Ela afirma que tudo aconteceu de maneira completamente acidental. Muito consternada, ela lembrou daqueles momentos terríveis, que, certamente, não vai sair de sua cabeça tão cedo. Ela e a filha estavam em casa, quando tudo aconteceu. Houve um barulho de um disparo e elas decidiram correr até o quarto do menino, que já estava todo ensanguentado.

É bom que as pessoas façam transmissões em tempo real na internet. Redes sociais hoje permitem que cada pessoa possa viver o seu próprio BBB.

Publicidade

O problema é que, diferente do que ocorre no 'Big Brother Brasil', muitas vezes, jovens acabam se matando online. Além de mortes acidentais é comum que pessoas se suicidem e divulguem o material online. Contra a prática, no Brasil, existe o CVV, que é o Centro de Valorização da Vida. Para entrar em contato com a instituição, basta fazer uma ligação gratuita para o 141. Sites como o Google fazem questão de mostrar quando a pessoa procura a palavra suicídio o número do telefone e as informações básicas do CVV.

A mãe informou que a arma não era dela. Nos EUA, o porte de arma é permitido. O menino teria pego o utensílio com um amigo para fazer a brincadeira. Após ele atirar nele mesmo, rapidamente, cerca de 40 pessoas foram diretamente à casa da família. Todas assistiam ao vídeo do Instagram, que acabou mostrando a morte do garoto.

Veja abaixo o vídeo que mostra uma reportagem sobre o caso que acabou repercutindo em todo o mundo:

E você, o que achou das imagens divulgadas na internet? Há uma maneira de frear esse tipo de acontecimento? Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante. #Crime