Rachel Essaid tinha somente 17 anos quando conheceu Imraan Hasham, um muçulmano de 32 anos de idade. Os dois se conheceram em uma boate, em Bolton, na Inglaterra e ele falou para ela que tinha apenas 20 anos. A jovem se encantou pelo homem que dirigia uma empresa, mas pouco depois acabaria vivendo um verdadeiro pesadelo, durante um relacionamento abusivo. No tribunal, o juiz acabou perdoando Hasham de uma pena de prisão para "não prejudicar seus negócios", uma sentença que está deixando revoltadas várias pessoas.

O homem se tornou tão controlador, que ele proibia a namorada de usar o telefone ou vestir alguma roupa mais reveladora.

Publicidade
Publicidade

A ofendia com os mais feios e, no final, queria forçá-la a que se casasse com ele.

Apesar de a jovem ter apresentado queixa na polícia e ter se libertado deste relacionamento obsessivo, os magistrados acabaram decidindo favorável a Hasham, no tribunal de Manchester. O homem se mostrou arrependido e mesmo admitindo ter tentado controlar a namorada, o tribunal foi piedoso por temer que este caso prejudicasse os negócios de Hasham.

Em um depoimento comovente, Rachel contou como ele a manipulou durante todo o namoro. Ela contou, em tribunal, que Hasham queria se casar com ela em uma mesquita e preferia que ela ficasse em casa para cozinhar e limpar.

Publicidade

Ela contou como ela foi forçada a manter as persianas fechadas quando ela estava na casa para que as pessoas não a olhassem.

O casal namorou durante um ano, mas o relacionamento chegou ao fim em março do ano passado, depois que a polícia foi chamada quando Hasham jogou Rachel em sua cama e tentou sufocá-la, durante uma discussão quando ela tentou sair de sua casa para ver sua família. Ele mordeu-a na mão para que ela não pudesse usar seu telefone e mais tarde ameaçou matar o padrasto da jovem, agora com 18 anos.

Durante a investigação, os policiais descobriram que Hasham tinha um passado sombrio, tendo servido anteriormente um período de oito anos e meio de prisão, depois de um assalto um banco em que sequestraram, com ameaça de pistola, uma mulher. Ele também tinha condenações por danos criminais e afronta.

No seu relacionamento com Rachel, inicialmente ele tentou impedir que ela vestisse vestidos mais reveladores de seu corpo ou que trabalhasse e saísse com amigos homens.

Publicidade

Com o passar do tempo, foi se tornando mais controlador. Rachel acredita que ele a queria forçar a se casar com ele, em uma mesquita, apenas para que ela realizasse suas tarefas domésticas e para que nunca saísse de casa sem sua autorização.

Só mais tarde, ele se tornou mais violento e foi aí que Rachel chamou a polícia, quando ele a agrediu. A polícia elogiou muito a decisão da jovem em avançar com a acusação contra o namorado controlador. Apesar disso, a #Justiça se revelou mais branda, não impondo pena de prisão ao homem, uma decisão que está deixando revoltadas muitas pessoas, que acreditam que ele merecia ser preso. #mulheres #muçulmanos