Uma mulher foi acusada de estuprar um estudante de 16 anos, depois de, supostamente, assediar e perseguir a vítima em pessoa e através da rede social Facebook. A mulher foi identificada como Jessica Galyon, de 29 anos, que é casada e tem um filho. Ela teria levado o garoto até uma sala de aula e tomou a sua virgindade. Conforme informações do Mirror Online, a mulher foi presa em fevereiro pela polícia, na cidade de Filadélfia, Estado do Tennessee, nos Estados Unidos, e acusada de agressão sexual agravada, violação estatutária e estupro.

Ainda de acordo com a mídia, os pais da vítima entram com uma ação contra a escola Midway High School, onde a vítima estudava e a acusada trabalhava.

Publicidade
Publicidade

A ação movida pelos pais da vítima gera em torno US$ 4,5 milhões por danos morais. Segundo informações repassadas pelas autoridades locais, a mulher insistiu que a vítima a adicionasse no Facebook e desse o seu número de telefone. Após o garoto aceitar o seu pedido de amizade, a mulher começou a enviar fotos ilícitas dela e mensagens sexuais.

Ainda de acordo com o veículo de comunicação, embora o menino tenha pedido a ela para parar, segundo informações que constam do processo, em setembro, Jessica o convidou para visitá-la em um quarto de hotel, para que eles pudessem dormir juntos. Ela então o levou a uma sala de aula e o submeteu ao que o processo descreve como "o primeiro encontro sexual de qualquer tipo que o menino já teve em sua vida". Por sua vez, a mulher, após cometer o #Crime pelo qual é acusada, tentou esconder o delito, relatando que ela perderia seu emprego, marido e filhos, caso ele contasse para alguém o que tinha acontecido.

Publicidade

De acordo com a processo, após os alunos ficarem sabendo que o adolescente teve um caso com a mulher, eles começaram a zombar da vítima, relatando que a mulher era a sua namorada. Diante disso, o garoto mudou de escola. Ainda de acordo com o processo, um membro da escola teria dito que a vítima estava com ciúmes dele, porque ele queria ter relações sexuais com a acusada. A vítima está recebendo aconselhamento psicológico semanal em sua casa.

A mulher foi presa um mês após o estupro, depois de um membro da escola relatar o caso à direção do estabelecimento. Conforme relatos da polícia do Condado de Roane, a professora foi liberada mais tarde, após pagar uma fiança de US$ 15 mil dólares. Conforme informações do Mirror, o processo acusa as escolas do Condado e os contratados de limpeza Compass One, de agir intencionalmente de forma despretensiosa e com negligência grosseira, ao não reconhecer ou parar a má conduta sexual de Jessica. #Investigação Criminal #Casos de polícia