Uma mulher identificada como Carol Bowditch, de 64 anos, que é pensionista, foi filmada mantendo relações sexuais com vários cachorros de diversas raças. Segundo informações, a mulher fazia #sexo com um São Bernardo, um labrador e um lobo da Alsácia, em eventos onde os donos dos #Animais ficavam olhando ela mantendo relações sexuais com os animais.

Publicidade

Conforme informações do tribunal de Lincoln Crown, na Inglaterra, apesar da prática de sexo com animais ser ilegal, decidiu não prender a acusada devido ela ter alegado que não sabia que era crime a prática de zoofilia..

Publicidade

Segundo informações repassadas pela polícia, os crimes foram descobertos após a polícia ter começado a investigar as festas ilícitas que a acusada organizava, e depois eram publicadas em fórum na internet especializado em bestialidade. Ainda de acordo com a polícia, a suspeita primeiramente mantinha relações sexuais com os cachorros em seguida com os donos dos animais.

Quando os policiais foram até a casa de Carol, foram encontrados um DVD e um pen-drive que continham vários vídeos da suspeita mantendo relações sexuais com os animais. De acordo com a advogada de acusação, Victoria Rose, relatou que o material apreendido foi analisado e continhas cenas chocantes.

"Quando o DVD foi analisado, foi encontrado imagens fortes. Essas imagens retratavam pessoas cometendo atos sexuais com cães. Também foram incluídas imagens da própria acusada realizando atividade sexual. Foi Incluído um vídeo de 8 minutos e 59 segundos da acusada envolvimento em sexo vaginal e oral com um cão de São Bernardo chamado Oscar.

Publicidade

Quando o réu foi entrevistada ela admitiu que tinha sexo com penetração com cães. Ela disse que tinha ocorrido ao longo de vários anos. Ela não sabia que era ilegal”, disse a advogada.

Ainda de acordo com advogada, ainda foram encontrado na residência da mulher oito fotos da suspeita praticando sexo com cachorros e mais de 30 pequenos vídeos de zoofilia. Ao ser questionada sobre o ocorrido, a mulher confessou que praticou os atos ilícitos com um animal no mês de novembro de 2011 e 2014. Ela também relatou que no mês de março de 2016 ela fez vídeos pornográficos com os animais.

"O que você cometeu foi antes de tudo é ilegal e, em segundo lugar, nojento. Disseram-me que você recebeu humilhação pública como resultado da publicidade que este caso atraiu, o que não me surpreende", disse o juiz Michael Heath. A mulher foi sentenciada a prestar serviço comunitário durante dose meses, com supervisão no exercício de funções, e terá um recolher obrigatório a noite, durante quatro meses. #Casos de polícia