O Caso Cerrado é um dos programas latinos mais famosos da TV norte-americana. Ele pode ser comparado ao Casos de Família, apresentado por Cristina Rocha, no SBT. A única diferença é que nos Estados Unidos a apresentadora local, Ana Maria Polo, atua como juíza e dá um verdadeiro veredito sobre o caso.

O jornal britânico Daily Mail publicou uma reportagem, neste domingo (16), um episódio muito polêmico exibido pelo Caso Cerrado na semana passada. É o de #Jennifer, uma mulher transgênera, que mantém o órgão sexual masculino, viveu um drama em sua vida. Em uma noite de amor com seu amante, mas ele acabou falecendo durante a relação sexual.

Publicidade
Publicidade

Ao cair, ele acabou fraturando o pênis de Jennifer, que ainda ficou presa ao corpo do amante. Agora, a mulher transgênera luta na justiça por danos morais. Ela entrou com um ação na Justiça para que Sylvia, viúva do amante, pague pelos danos morais que sofreu.

Para isso, Jennifer pede uma indenização de US$ 21 mil dólares, algo perto de R$ 66 mil, por tudo o que sofreu. O amante morreu de ataque do coração quando, supostamente, era passivo na relação com sua amante.

Ana Maria Polo, apresentadora da atração, pareceu descrente de que aquilo tudo poderia ter qualquer fundo de verdade, mas mesmo assim o caso continuou no programa. O nome do homem que faleceu é Miguel.

A trans diz ter saudades dele, pois era um ótimo amante, além de um homem muito bom. Jennifer disse que tudo aconteceu quando realizava uma fantasia de Miguel, que era a de ser penetrado.

Publicidade

Jennifer não viu problemas, já que ainda possui o seu órgão sexual masculino. Ela diz que antes de falecer, Miguel demonstrava claramente de que estava gostando de tudo o que ocorria.

A apresentadora quis saber o porquê de ela não ter ido embora após a morte do homem. Jennifer explicou que seu pênis ficou preso no amante e acabou ficando desesperada. Por isso, ela ligou para Sylvia, a esposa de Miguel.

A viúva então chamou a polícia, que socorreu a dupla e levou Miguel e Jennifer para o hospital, onde os corpos foram separados. O jornal britânico, ao final da reportagem, lembra que o programa é acusado de contratar atores para simulares os casos apresentados, mas que seriam baseado em fatos reais.

Assista ao vídeo sobre o caso:

E você, acha que Jennifer merece a indenização por danos morais? Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante. #CasoCerrado #Crime