O mundo parece esta testemunhando níveis crescentes de violência, medo e ódio que desafiam as pessoas a cada dia. Há debates em andamento sobre como ou se deseja acolher imigrantes e refugiados nos Estados Unidos, notícias e manchetes que lembram sobre a situação da Síria e sobre os horrores do Estado islâmico. E, nesse cotidiano de violência, uma tentativa de assassinato deixou moradores revoltados devido a tamanha crueldade com a vítima. Mas, responsáveis vão pagar pelos seus atos atrás grades. Entenda o caso a seguir.

Um homem foi preso junto com a sua filha acusado de uma tentativa de assassinato, neste domingo (2), na área do governo local de Gamawa, no estado de Bauchi, na Nigéria.

Publicidade
Publicidade

O homem foi identificado pela polícia como Abdulkadir Mohammed, de 55 anos. Para as autoridades locais ele é o principal suspeito de ter abusado sexualmente de sua própria filha. A jovem, de 20 anos, foi identificada como Dije Abdulkadir.

Segundo informações, devido aos estupros que sofria por parte do pai, a jovem acabou engravidando. Porém, após o nascimento do bebê, os dois tentaram assassinar a criança. Conforme informações repassadas pela polícia, a jovem já era abusado pelo pai há algum tempo e, quando ela ficou grávida, com medo de alguém descobrir os abusos que vinha sofrendo por parte do pai, os dois resolveram matar o bebê, assim que ele nascesse.

De acordo com informações de Garba Umar, que é comissário de polícia, os acusados foram presos por policiais ligados à Divisão de Gamawa, após a polícia receber denúncias relatando que uma criança tinha acabado de ser jogada em um poço.

Publicidade

Os suspeitos foram presos e encaminhado para uma delegacia de polícia da cidade.

"A suspeita deu à luz uma menina e jogou-a dentro do poço, com a intenção de matá-la. No entanto, a intervenção oportuna de indivíduos bem-intencionados na área, que ajudou e resgatou o bebê vivo, salvou sua vida. A suspeita confessou que seu pai biológico a estuprava e eles decidiram matar o bebê. Os suspeitos confessaram o ato e foram acusados no tribunal", disse o comissário. O caso está sendo investigado pelas autoridades locais. #Crime #Investigação Criminal #Casos de polícia