Infelizmente, mulheres são alvo de abusos todos os dias. Um homem argentino está sendo acusado de ser mais um dos que molestam quem, na verdade, deveriam proteger. Chamado pela mídia de 'Papai Monstro', Miguel Ubaldo Reynoso tem 55 anos e acabou sendo preso em sua própria casa, em um bairro residencial da cidade de Buenos Aires, capital da Argentina. O homem foi detido por policiais e a prisão dele repercutiu em todo o mundo. Isso porque, por pelo menos nove anos, ele abusou sexualmente da própria filha. Para piorar toda a situação, ela é deficiente física e vivia em cárcere privado em casa.

A polícia argentina acredita que o pai, além dos estupros, tenha engravidado a filha, que acabou gerando dois netos/filhos.

Publicidade
Publicidade

Um deles teria cinco anos e o outro, 11 anos. A suspeita foi alcançada após uma grande investigação, que concluiu que os abusos contra a herdeira deficiente eram constantes. A moça, hoje com 25 anos de idade, foi identificada como Brava Joana. Ela está esperando o seu terceiro filho. Reynoso acabou sendo descoberto, justamente, por outro filho. Brian foi visitar a casa dos pais e foi estanho o que achou. Ao chegar ao local, ele viu o que agora é denunciado na mídia. Todos os parentes dele estavam trancafiados. Ele decidiu então violar a porta e derrubá-la, tirando os familiares do local, após anos de prisão e escravidão.

Além de serem obrigados a não saírem do local, os parentes do 'Papai Monstro' tinham que realizar tarefas árduas em casa. O abuso contra a garota deficiente durou quase uma década.

Publicidade

Ao ver o pai preso, a moça se viu aliviada para contar os seus sentimentos. Quem também falou foi a mãe da garota, que vivia escravizada com ela e os netos na residência. De acordo com ela, o pai da garota começou a violar a menina, quando ela ainda tinha 16 anos de idade.

No entanto, as contas não batem e mostram que mãe e filha passaram pelo abuso por dois anos, antes de serem impedidas de sair de casa. Nesses dois anos, os estupros eram conhecidos, mas elas não faziam nada. A polícia acredita que elas tivessem medo de denunciar o pai. O que acontecia na residência e agora vem à tona é completamente assustador. As moças usavam uma lata como banheiro. Além disso, a mãe da garota deficiente era ameaçada, constantemente, de morte, caso decidisse contar qualquer coisa.

Após o resgate, Joana foi levada às pressas para o hospital devido a dores no abdômen. Foi lá que descobriram que a moça está grávida de novo. A polícia agora estende as investigações e que saber se há mais envolvidos no caso. #Crime