Na última terça-feira (4), foi realizado o enterro de um pastor sudanês, o homem foi morto enquanto lutava em um protesto contra uma apropriação do governo em uma escola cristã. O #Pastor Younan Abdulla participava dos cultos na #Igreja Evangélica Presbiteriana do Sudão e era líder de uma outra Igreja, Bahri. Ele era casado e deixou dois filhos menores.

O caso aconteceu no país africano Sudão e tudo começou em 2016, quando o governo autorizou a venda do local onde existe uma escola liderada pela Igreja Evangélica Presbiteriana do Sudão, e não comunicou aos envolvidos o motivo.

Como a igreja de Younan Abdulla estava durante alguns anos na disputa pelo local, e não aceitou a decisão das autoridades, o pastor e membros das igrejas resolveram organizar um protesto pacífico, que teve duração de três dias, na tentativa de impedir a ação do governo de esvaziar o terreno, que iniciaram com a retirada dos itens e materiais dos alunos.

Publicidade
Publicidade

No segundo dia de protesto, os manifestantes foram surpreendidos por policiais que levaram o pastor, o diretor da escola e mais alguns protestantes para a delegacia para prestarem esclarecimentos sobre o protesto, mas eles foram liberaram horas depois, já que não foram encontradas nenhuma prova contra eles.

De acordo com informações de testemunhas, no terceiro dia de protesto, aproximadamente vinte homens fortemente armadas invadiram a escola e começaram atacar os manifestantes com muita violência. Eles atacaram as pessoas com facas e golpes, e infelizmente o pastor foi gravemente atingindo por facadas e não resistiu e veio a falecer em seguida.

Segundo informações de uma organização do país, o responsável pelo ataque foi um membro do comitê ligado ao governo. As autoridades conseguiram prender apenas um suspeito, que prestará depoimento, mas ainda não disponibilizaram nenhuma informação importante sobre o caso.

Publicidade

Durante o funeral de Younan, apareceram os representantes das embaixadas do Reino Unido e Estados Unidos, eles prestaram homenagem ao pastor e demonstraram muita preocupação com a liberdade religiosa.

Pesquisas revelaram que a perseguição aos cristãos no Sudão vem aumentando desde 2011, e que também existem campanhas pesadas dentro da própria República para acabar com todos os cristãos.

O Reino Unido se manifestou afirmando que algo precisa ser feito para preservar a liberdade religiosa das pessoas imediatamente e que darão todo o apoio necessário. #Morte