A polícia americana do estado de Cleveland está procurando o criminoso que atacou, atirou e #matou uma vítima que ele escolheu aleatoriamente no meio da rua, além de transmitir o assassinato ao vivo em uma ferramenta do #Facebook.

As imagens foram registradas em um vídeo com aproximadamente um minuto de duração. Podemos ver um homem dentro do carro dizendo que vai matar alguém naquela hora. Ele desce do veículo e ataca um idoso que estava passando na rua; após alguns segundos podemos observar um corpo caído ao solo, então a pessoa que a todo instante segura a câmera volta para o carro.

Suspeito identificado

A polícia já identificou o autor do crime, trata-se de Steve Stephens, 37 anos de idade.

Publicidade
Publicidade

Em algum momento do vídeo ele relata que já teria matado 13 pessoas, e que ainda sentia desejos de matar outras.

Calvin Williams, chefe da policia de Cleveland, afirmou que a vítima que foi atacada, o senhor Robert Godwin, de 74 anos, morreu após o ataque. Mas afirma que não tomou conhecimento que o homem teria feito outras vítimas. Segundo Williams a polícia teria usado "múltiplos recursos" na busca a Stephens, e ainda fez um apelo na esperança que ele se entregasse e recebesse a ajuda necessária.

"Não precisamos de mais sangue derramado. Precisamos acabar com isso hoje e tirar esse criminoso das ruas", declara o chefe de polícia. "Por conta do incidente, um alerta também foi divulgado no Estado de Ohio e redondezas", conclui Williams. O oficial ainda pediu que ninguém abordasse o suspeito na rua, já que ele é perigoso e com certeza está armado.

Publicidade

Segundo o alerta da polícia, o suspeito dirige um carro esportivo de cor branco ou creme. Ele é um homem alto de aproximadamente (1,91m) e negro. Uma página que foi criada no Facebook para conseguir doações para o senhor que sofreu o ataque, já ultrapassou a quantia de US$ 20 mil dólares (cerca de R$ 63 mil reais), pouco tempo depois de ser criada.

Williams acrescentou que Steve com certeza tem problemas, e que ele teria escolhido a vítima aleatoriamente. O FBI, trabalha junto com policiais locais nas investigações, tentando encontrar o assassino e encerrar o caso o mais rápido possível.

O Facebook se pronunciou sobre o caso e disse que vai ajudar as autoridades. Por meio de nota, a empresa classificou esse incidente como "horrível" e acrescentou ainda: "Não permitimos esse conteúdo em nosso site", destacou a rede social.

A ferramenta que permite qualquer pessoa transmitir #Ao vivo, foi criada em 2010, e já tem acumulado cenas bizarras como essa narrada acima.

No mês de junho do ano passado, uma pessoa que transmitia um vídeo ao vivo foi morto em Chicago. Em março outro homem foi atacado com 16 tiros e tudo foi filmado e transmitido através do Facebook Live.