A professora norte-americana Jessica Storer, de 28 anos, pode pegar até cinco anos de prisão depois de admitir, em julgamento, que embebedou um aluno de 18 anos para ter relação sexual com o rapaz.

O caso aconteceu em novembro do ano passado. Jessica conheceu o estudante quando deu aula como professora substituta no colégio Pandora-Gilboa, em Ohio, nos Estados Unidos.

Relações sexuais com adolescentes dessa idade, em muitos estados norte-americanos, são consideradas crimes. Além disso, há o agravante de que o rapaz foi embriagado para que o ato fosse consumado.

O mais bizarro de tudo é que Jessica é casada e tudo foi feito com ciência e ajuda do marido, Derrick, de 33 anos.

Publicidade
Publicidade

O jovem que sofreu o abuso não foi o único comparecer à festa organizada pelo casal.

Tudo aconteceu, porém, quando os demais alunos já haviam ido embora. O que ficou na casa – a identidade dele não foi revelada - foi convidado a ingerir bebida alcoólica. Quando estava completamente bêbado, teve relações sexuais com a professora dez anos mais velha.

Em depoimento, o rapaz afirmou não lembrar de nada depois que ficou bêbado e informou que manteve relações sexuais com a professora durante a manhã seguinte também.

Punições

Diferente do Brasil, em que vender bebida alcóolica para menor é #Crime, mas isso acontece aos montes por aí sem que a lei seja cumprida, nos Estados Unidos a lei é cumprida à risca.

O marido de Jessica, por exemplo, vai responder pelo crime de ter dado bebida alcoólica para o jovem.

Publicidade

Derrick pode pegar até três anos de detenção.

As acusações contra Jessica são piores. Ela responderá por estupro e #Abuso Sexual do estudante. A pena da professora pode chegar a cinco anos de detenção.

Recorrentes

Crimes como este são recorrentes nos Estados Unidos, onde vira e mexe são noticiados casos de relação sexual entre professoras e alunos. Por lá, casos como este geram punições severas aos envolvidos.

A professora Jessica Storer, por exemplo, além de correr o risco de pegar até cinco anos de prisão, ainda terá seu colocado na lista de agressores sexuais dos Estados Unidos.

Isso significa que a carreira de Jessica como professora praticamente acabou, já que nenhuma instituição de ensino se arriscará a contratar alguém cujo nome consta em uma lista nada honrosa nos Estados Unidos.

Deixe a sua opinião sobre este caso nos comentários!