A #coca-cola é alvo de um processo nos Estados Unidos promovido por um homem que diz ter achado um rato morto no interior de uma lata do refrigerante. Ele pede mais de US$ 2 mil (R$ 6,2 mil) de indenização, além de ressarcimento de danos. A empresa nega o fato e tenta se defender judicialmente.

De acordo com o jornal britânico Daily Mail, o homem é Duane Putzier, do estado de Dakota do Sul, nos Estados Unidos. Ele afirma ter ficado doente após ter comprado uma lata e bebido a Coca-Cola até o fim, quando percebeu um material estranho. Era um rato em decomposição.

Putzier reclama que perdeu 60 horas de trabalho. Por causa da contaminação, teve que gastar US$ 1 mil (R$ 3, 1mil) com o tratamento médico.

Publicidade
Publicidade

O consumidor afirma ter sentido o rato na boca ao beber os últimos goles da #bebida.

Coca-Cola se defende

Os advogados da empresa norte-americana alegam que a Coca-Cola é alvo constante de campanhas negativas. Eles contestam as informações de que o roedor teria sido colocado na lata junto com a bebida durante o abastecimento na fábrica. Eles sugerem que o animal teria entrado na lata em outro momento.

A lata foi envazada seis meses antes de ser consumida. A produção se deu no estado de Indiana (EUA) e o funcionário da fábrica responsável pelo controle de qualidade é uma das testemunhas relacionadas pela defesa do fabricante.

O advogado da empresa, Brian Johnson, disse que “a fábrica de refrigerantes considera este tipo de declaração como um ataque a marca”. Mas admite que o rato na lata estava em pequeno estado de decomposição.

Publicidade

“Ele tinha pele, sangue no nariz e membros intactos”.

Contaminação por fezes humanas

Um dos mais recentes casos de denúncias de contaminação alimentar envolvendo a Coca-Cola foi a presença de fezes humanas em um lote da bebida produzida na Irlanda do Norte. Em comunicado oficial, a Coca-Cola informou que os produtos contaminados foram retirados do mercado antes de chegar ao consumidor.

A empresa chegou a interromper a produção da bebida naquele país depois da constatação de que fezes humanas entupiram as máquinas de abastecimento. Em seguida, as autoridades policiais da Irlanda do Norte abriram inquérito para apurar como as fezes contaminaram as latas.

Em comunicado à imprensa local, a Coca-Cola informou que trata o caso de modo sério e colabora com a polícia. A empresa divulgou ainda que, ao perceber a contaminação do produto, interrompeu a produção. Também informou que o incidente não afetou os outros produtos. #Saúde