A Santa Ceia representa para os religiosos católicos o sacrifício de Jesus por nós na cruz, e quem toma a ceia do Senhor, está aceitando os seus sacrifícios por nossos pecados, e a partir daí surgiu uma das obras mais conhecidas de todos os tempos; o afresco de Leonardo da Vinci, chamado “Última Ceia”, que representa a cena da última ceia de Jesus com seus apóstolos antes de ser capturado e crucificado segundo a Bíblia. Está entre as obras mais importantes da Terra, mundialmente querida, respeitada e admirada por todo o #Mundo.

Publicidade

Até que uma organização #LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros), a DiverCity de Salerno no sul da Itália, teve a ideia de reproduzir a imagem sagrada, e usá-la em um convite de uma festa promovida por eles..

Publicidade

A polêmica [VIDEO] se deu porque na versão da pintura apresentada pelos produtores e idealizadores do evento, o que acontece é uma cena gay, onde Jesus e os seus doze apóstolos estariam representados por homens nus e seminus, alguns em diferentes atos sexuais.

Mesmo que o casamento homossexual na Itália já tenha sido legalizado desde maio do ano passado, os políticos conservadores de todo o país resolveram se mobilizar e pedir pela censura da imagem e cancelamento da festa, e expressaram revolta em meios de comunicação do país.

O representante do partido chamado de “Il Popollo de La Famiglia”, o senhor Raffaeli Adinolfi, fez um chamado a toda sociedade italiana, cristãos e não cristãos que se manifestassem contrários à utilização estilizada da pintura. No país, o partido de Raffaeli se mostra contra o casamento homoafetivo, ao aborto, ao divórcio e ao uso de barrigas de aluguel..

Publicidade

A festa “Divercity easter edition” que tem como tema “não somos blasfemos, somos alternativos” aconteceria hoje dia 14 de abril, dia santo para todos os seguidores do cristianismo e tanto o convite quanto à data foram considerados uma ofensa à crença e a fé dos mais religiosos, e pediram que a comunidade LGBT respeitasse a todos como eles gostariam de ser respeitados.

Um dos organizadores do evento, Emanuele Avigliano, defendeu a organizações e produção da festa através de uma postagem no facebook [VIDEO], dizendo que eles respeitam e compreendem as opiniões diferentes as deles, mas que eles por convicção não encontravam no material nenhuma ofensa ou blasfêmia, e que a intenção não era de causar desconforto ou constrangimento a ninguém, mas que desejam apenas se divertirem como bem entenderem.

E que lamentava que o representante do partido conservador estivesse perseguindo os LGBT’s para ter mais visibilidade as custas de gays, lésbicas e transgêneros. Mas que estariam todos convidados a participarem da festa, e que fizessem disso um momento de liberdade e de confraternização entre jovens homossexuais.

E você, acredita que o uso da versão da imagem é uma forma de desrespeito aos fiéis de todo o mundo?

Deixe sua opinião. #Família