Dois homens da província de Aceh, na Indonésia, poderão enfrentar uma pena de até 100 chibatadas, cada um, com um bastão de rattan, após terem sido denunciados por vizinhos de manterem relações homossexuais. Os vizinhos "vigilantes" suspeitaram que os dois jovens, um com 23 e o outro com 20 anos, tinham uma amizade muito íntima e assim armaram um flagrante para pegá-los cometendo o "#Crime".

Os vizinhos denunciaram os dois à polícia da Sharia após terem feito um vídeo que, mostra um dos rapazes nu e pedindo ajuda a familiares pelo celular, enquanto dizia a um dos vizinhos: "Por favor, irmão, por favor, pare". Já o outro rapaz é empurrado e agradido com chutes, tapas e pontapés por locais que o impedem de fugir.

Publicidade
Publicidade

De acordo com Marzuki, que é investigador e chefe de polícia da Sharia, os homens já "confessaram" ser homossexuais. "Com base em nossa investigação, depoimentos de testemunhas e outras provas, estamos convictos que eles violaram à Lei Islâmica da Sharia e podemos levá-los ao Tribunal", disse Marzuki.

Em 28 de março os jovens que foram identificados pelas iniciais de HB e MT, foram detidos e levados para Wilayatul Hisbah, uma instalação de polícia da Sharia. O caso despertou o interesse de grupos de defesa dos Direitos Humanos, entre eles o Human Rights Watch, que pediu a soltura imediata dos envolvidos e a intervenção do Presidente do país Joko 'Jokowi' Widodo no caso.

O presidente Jokowi tem sido duramente criticado por ativistas dos Direitos Humanos. Em outubro do ano passado ele disse que a polícia deve defender a população #LGBT do país, mas a Human Rights Watch o acusa de não agir efetivamente.

Publicidade

Outra que vem sendo atacada é a prefeita de Aceh, Illiza Sa'aduddin, que em 2016 afirmou que criaria uma equipe para enfrentar a "ameaça" LGBT na região. Aceh é a única região da Indonésia que é adepta a Lei da Sharia, além de seguir também o Código Nacional Penal do país.

De acordo com as novas leis implementadas há pouco mais de dois anos, o casal, se for considerado culpado pelo crime, poderá ser o primeiro a sofrer a pena no país por terem praticado sexo gay. Segundo a Lei da Sharia, o sexo entre homens e mulheres homossexuais é punível com até 100 chibatadas de bastão de rattan, 100 meses de prisão ou uma multa caríssima de 1.000 gramas de ouro.

A punição islâmica é aplicada para vários tipos de ofensas, tais como jogo de apostas, adultério e consumo de bebidas alcoólicas. A definição do que pode ser considerado uma "ofensa" é bastante ampla. Por exemplo, uma mulher pode ser condenada por adultério por apenas ficar perto de um homem desconhecido ou mesmo um namorado.

A Lei Islâmica não se aplica apenas aos mulçumanos. Em abril de 2016 uma mulher cristã foi condenada por vender bebida alcoólica, sua punição foi de 28 chibatadas em praça pública. Além desse, cerca de 340 casos já foram criminalizados com os preceitos da Lei Islâmica. #Chocante