Um caso criminoso que chocou diversas pessoas pela forma que foi praticado vem ganhando destaque nos noticiários de todo o mundo. Steve Stephens, suspeito de matar um homem e transmitir ao vivo pelo Facebook, foi encontrado morto nos Estados Unidos, nesta terça-feira (18).

Publicidade

O acusado teria escolhido aleatoriamente sua vitima enquanto passava pelas ruas da Pensilvânia. O estado acabou divulgando a notícia em sua pagina do Twitter.

De acordo com o portal de notícias G1, Stephens foi perseguido pela polícia no condado de Erie. Para não ser preso, o homem acabou dando um tiro em si mesmo e morrendo no local.

O criminoso, de 37 anos, não tinha antecedes criminais e trabalhava como assistente social em uma unidade de saúde mental para crianças. Entretanto, ele estava devendo dividas de jogos. "Perdi tudo o que eu tinha por causa do jogo nos cassinos de Cleveland Jack (Ohio) e Erie (Pensilvânia)", havia dito Stephens em sua página no Facebook, que já foi excluída.

Homem morto por Steve Stephens

Robert Godwin tinha 87 anos e tudo indica que ele estava voltando da casa de sua família, no domingo (16), após um almoço de Páscoa. No caminho, ele acabou sendo surpreendido por Steve Stephens na rua Cleveland, Ohio. Em seguida, foi assassinado.

Durante o #Vídeo transmitido ao vivo pelo Facebook com a morte de Godwin, o acusado dizia que era um mostro e afirmou já ter cometido outros assassinatos.

Publicidade

"Está vendo, a coisa é, cara, que eu tenho 37 anos e toda a minha vida, cara, eu sempre fui um monstro".

Logo após ter cometido o crime, Stephens disse em um vídeo que teria ficado louco por um momento. De acordo com o chefe de polícia de Cleveland, Calvin Williams, era notório os sinais de que Stephens tinha claramente um problema.

Outro caso semelhante

Em fevereiro de 2017, um homem e um menino acabaram sendo assassinados nos #EUA e tendo sua transmissão ao vivo pelo Facebook. Eles estavam dentro de um carro quando foram mortos a tiros.

A criança tinha apenas dois anos, levou um tiro na cabeça e morreu pouco tempo depois de ter chegado ao hospital.

De acordo com as autoridades locais, dentro do veículo ainda estava a tia do garoto, que esperava um bebê. Ela levou um tiro no estômago e acabou sobrevivendo ao ataque.

Na época do caso, o chefe da polícia, Eddie Johnson, disse aos veículos de comunicação que "Nossos filhos não deveriam estar pagando o preço da nossa incapacidade para tornar responsáveis os delinquentes de seus atos". #Violência