De acordo com o noticiário da Fox News, diante da crescente tensão na península coreana, dois bombardeiros russos, ambos com capacidade nuclear, sobrevoaram a região do Alasca na segunda-feira (17) durante a noite. Em entrevista, dois oficiais dos Estados Unidos disseram que esta é a primeira vez que a Rússia é tão provocativa desde a posse do presidente Donald Trump.

Os bombardeiros russos TU-95 "Bear" sobrevoaram a distância de 100 milhas da Ilha de Kodiak, no Alasca, distante 280 milhas da Base Aérea estadunidense de Elmendorf, zona sob responsabilidade da Defesa Aérea americana.

Em resposta, a marinha dos #Estados Unidos decolou dois caças furtivos F-22 (aviões de última geração), mais um avião de alerta precoce E-3 para interceptar os bombardeiros russos, caso os últimos chegassem mais perto.

Publicidade
Publicidade

Ainda, segundo o relato, os jatos americanos voaram ao lado dos bombardeiros russos por 12 minutos, entretanto, estes reverteram o rumo e voltaram para sua base no leste da Rússia.

Relação entre a Rússia e os Estados Unidos

As relações entre os dois países não anda muito boa, uma vez que o bombardeio na Síria, realizado pelos Estados Unidos em resposta ao ataque químico, desagradou o presidente russo Vladimir Putin. Também há a questão da Coreia do Norte, país aliado da Rússia e da China, que tem realizado sérias provocações aos seus vizinhos japoneses e sul-coreanos, aliados dos EUA.

Todavia, na última semana, o secretário de Estado americano, Rex Tillerson, informou que as relações entre os EUA e a Rússia não iam bem, isto enquanto se sentava ao lado do ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, em Moscou.

Publicidade

Como se já não houvesse problemas suficientes, durante a visita de Tillerson, três bombardeiros russos sobrevoaram a costa leste do Japão, e outro avião, espião, também russo, sobrevoou a costa oeste, fazendo com que o exército japonês organizasse 14 caças para prontidão, caso houvesse a necessidade de interceptar os aviões russos.

A última vez que os bombardeiros russos voaram perto dos EUA foi em 4 de julho de 2015, quando sobrevoaram a costa do Alasca e chegaram a cerca de 40 milhas de Mendocino, na Califórnia.

Além das dificuldades geopolíticas enfrentadas pelos dois países, parece que o presidente russo, Vladimir Putin, não é capaz de cessar com suas provocações, posto que autoriza atos militares até durante reuniões diplomáticas. #Guerra #Russia