De acordo com o site Live Science, cientistas que realizavam uma pesquisa sobre aves carniceiras nos Estados Unidos acabaram registrando imagens extraordinárias completamente por acaso, quando flagraram um esperto texugo (mamífero pertencente à mesma família das doninhas, lontras e furões) literalmente – e também figurativamente – "roubando" a cena do estudo: o pequeno animal se apossou de uma carcaça de vaca que seria usada pelos pesquisadores e enterrou-a inteirinha, para poder ir consumindo-a aos poucos.

Conforme é possível ver na imagem que ilustra esta reportagem, ao que parece, o pequeno ladrão ainda "posou" para uma foto sentado em cima do seu estoque de comida recém-adquirido, que levou cinco longos dias para ser enterrado.

Publicidade
Publicidade

Evan Buechley, doutorando da Universidade de Utah que descobriu as imagens, afirmou que mesmo que não seja possível atribuir muitas características humanas a #Animais, parecia que o texugo estava muito feliz, "rolando na terra e vivendo a boa vida", já que havia adquirido carne suficiente para alimentá-lo por semanas.

Este comportamento nunca havia sido visto na natureza, apesar de os cientistas já saberem que texugos costumam enterrar comida – mas não em uma escala igual a que foi flagrada: a carcaça enterrada pelo animal tinha de quatro a cinco vezes seu próprio tamanho.

Flagrando o pequeno ladrão

As imagens do texugo foram feitas nas Montanhas Grassy, que ficam a oeste de Salt Lake City, em uma região conhecida como Deserto da Grande Bacia de Utah (Utah's Great Basin Desert), onde Evan Buechley e seus colegas pretendiam documentar o comportamento de certas aves, como, por exemplo, os abutres.

Publicidade

Para atrair os pássaros, os pesquisadores levaram sete vacas mortas até o local escolhido para o estudo, onde armaram e esconderam várias câmeras acionadas por movimento. Quando Buechley voltou ao local sete dias depois encontrou apenas seis carcaças, e pensou que algum predador, como um leão da montanha ou um coiote, havia arrastado a vaca que faltava para longe.

Segundo o Live Science, o cientista afirmou que ficou chateado, já que não é fácil conseguir as carcaças de vacas, até que ele notou algo estranho: a terra estava revirada no exato local onde o corpo desaparecido havia sido deixado.

Buechley foi até a câmera montada ali perto para baixar as fotos, e quando viu as imagens ficou espantado, já que o equipamento havia registrado um lapso de tempo de cinco dias em que o texugo trabalhou até enterrar a vaca completamente.

O pesquisador afirmou que muitos animais do deserto poderiam ter se alimentado daquela carne, tais como corvos, abutres, linces e raposas, entre outros, mas o texugo acabou "monopolizando o recurso".

Assista ao curioso vídeo:

#Curiosidades #EUA