Cada dia fica mais visível a falta de segurança, até mesmo nos lugares que deveriam proteger as crianças. Na tarde desta segunda-feira (10), aconteceu um caso grave. O incidente deixou dois mortos e dois feridos. Ainda não há informações sobre o que causou o tiroteio, mas a polícia local acredita ser um caso de assassino suicida. As informações foram divulgadas pelo portal de notícias G1.

Para maior segurança de todos, a escola foi esvaziada. Os bombeiros e a polícia também já estão no local averiguando a situação. As duas pessoas mortas ainda não foram identificadas. Já os feridos, acredita-se, que sejam estudantes. Após o ocorrido, eles foram levados ao hospital, mas não se sabe ainda qual o estado de saúde que se encontram.

Publicidade
Publicidade

A polícia de San Bernardino está pedindo para que as pessoas evitem passar na região do crime, que fica próxima a Universidade do Estado da Califórnia. Já os bombeiros estão no local fazendo a contagem das vítimas do caso.

Outro caso de atentado em San Bernardino

De acordo com o portal, esse não é o primeiro caso de tiroteio que acontece na cidade de San Bernardino. Ela já foi alvo de um massacre do grupo extremista Estado Islâmico em dezembro de 2015. Dessa vez, o #Ataque terrorista deixou 14 mortos num centro comunitário.

Rússia e Irã advertem os Estados Unidos

Ainda não se sabe se esse atentado na escola da Califórnia tem alguma relação com o fato dos #Estados Unidos está atacando a Síria com bombas. Entretanto, de acordo com o portal de notícias El País, a Rússia e o Irã têm advertirdo os Estados Unidos recentemente: O centro de comando conjunto das tropas da Síria que incluem os dois países citados anteriormente alertaram o governo de Donald Trump, que caso os ataques continuem, eles responderam com força.

Publicidade

O último ataque aconteceu na sexta-feira (7), quando o presidente dos EUA mandou bombardear com mísseis a base aérea Shayrat (Tomahawk).

De acordo com um comunicado divulgado por Ilam al Harbi à agencia Reuters, o país norte-americano perpetrou uma agressão contra a Síria que cruza a linha vermelha. “A partir de agora responderemos com força a qualquer agressor e ou qualquer violação da linha vermelha, por quem quer que seja”. O comunicado ainda dizia que os Estados Unidos conhecem bem a capacidade que eles têm de responder.

Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, 87 pessoas já foram mortas com os ataques aéreos e com armas químicas contra a cidade de Khan Sheikhun. #Morte