Deborah Byrne, de 47 anos, é uma britânica que teve a vida mudada por conta de uma atitude rotineira: entrar no Facebook. Ela tinha acabado de acordar e decidiu entrar na rede social, interagindo com os amigos. Ela curtia e comentava fotos de todos. Parecia que tudo corria bem, até que Deborah viu uma mensagem de pêsames na timeline.

Ela decidiu procurar saber se aquilo não era uma brincadeira, mas novas mensagens foram surgindo e ela não sabia bem o que estava acontecendo. A filha da internauta, Brogan Warren, de 21 anos, tinha ido viajar. Ela, na noite anterior, havia se comunicado com a mãe e dito que tudo corria bem.

Publicidade
Publicidade

Minutos depois de mandar a mensagem, Brogan acabou falecendo em um acidente de automóvel.

Após ler mensagens de que a filha havia morrido, Deborah quis saber o que havia acontecido e descobriu essa tragédia da pior maneira possível. Desnorteada, a mãe da falecida chegou a gritar. Ela estava, verdadeiramente, muito devastada com tudo o que havia acontecido. Em entrevista ao tabloide inglês 'The Sun', repercutida aqui no Brasil pela coluna 'Hora 7', do portal de notícias R7, ela lembrou como foi aquele terrível dia. A mulher disse que ficou muito desesperada e que não sabia como agir.

A morte da menina ocorreu no dia 22 de maio do ano passado, mas apenas agora a mãe dela teve coragem de dividir essa triste dor com outras pessoas. "Meu coração ficou partido. Eu tremia de tanto chorar", lembrou ela sobre aquele triste momento.

Publicidade

De acordo com ela, como o acidente aconteceu no final da noite, ela e a irmã da falecida estavam dormindo.

A polícia, assim que descobriu tudo o que havia acontecido, entrou em contato com a família das vítimas, mas ninguém atendeu na residência dos familiares de Brogan. Um policial ainda chegou a ir até a casa dela. Ele apertou a campainha diversas vezes, o cachorro latiu, mas ninguém atendeu. A britânica contou que tem um sono pesado, mas que chegou a ouvir os latidos do cachorro, preferindo não dar atenção por estar tão cansada.

E você, o que achou dessa história? Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante e ajuda no diálogo com outros leitores. #Crime #Investigação Criminal