Presidente dos Estados Unidos da América, o republicano Donald #Trump afirmou na última sexta-feira, dia 21, que o ataque realizado em Paris na última semana pode ajudar a candidata de extrema-direita, Marine #Le Pen, nas eleições presidenciais que estão sendo realizadas neste domingo, dia 23.

Em entrevista à agência de notícias Associated Press veiculadas pelo jornal Folha de S. Paulo, o presidente norte-americano afirmou que as posições radicais de Le Pen podem ser o diferencial nestas eleições, que ocorrem apenas três dias após o ataque.

Realizado na última quinta-feira, dia 20, o atentado deixou um policial morto e dois feridos na Avenida Champs-Élysées, um dos principais cartões postais da capital francesa.

Publicidade
Publicidade

Morto no local, o atirador era integrante do Estado Islâmico, facção terrorista que reivindicou a autoria do atentado.

Em suas declarações, o presidente dos Estados Unidos afirmou que o candidato com reações mais poderosas em relação ao terrorismo e mais duro nas questões de fronteira é quem irá se dar melhor no pleito. Para o republicano, Le Pen é “a mais forte” para lidar com a segurança nacional do país.

Apesar dos elogios, Trump disse não estar fazendo campanha para a candidata, famosa por posições radicais, como a saída da #França da União Europeia e um endurecimento nas leis de imigração do país.

Escândalo de corrupção desacelera avanço de Le Pen em pesquisas

Antes apontada como presença certa no segundo turno ao lado do centrista Emmanuel Macron, líder das pesquisas de intenção de voto, Le Pen viu seus números caírem após escândalos de corrupção envolvendo sua atuação no Parlamento Europeu.

Publicidade

Em janeiro deste ano, a presidente da Frente Nacional - partido de extrema-direita francês - foi acusada de ter usado 340 mil euros recebidos do orgão para subsidiar despesas pessoais de dois integrantes de seu partido. Como punição, a parlamentar europeia teve metade do seu salário cortado como forma de reaver a manobra.