Um vidente, que teria previsto Donald #Trump como vencedor das eleições americanas, disse que já sabe quando acontecerá a 3ª #Guerra Mundial. Ele chega a dar detalhes sobre a data do início do conflito, que aconteceria em menos de um mês.

Horácio Villegas se auto proclama um mensageiro de Deus e crê que a guerra entre Estados Unidos e Coreia do Norte começará no 100º aniversário da visitação de Nossa Senhora de Fátima.

A primeira visitação da santa teria ocorrido em 13 de maio de 1917. Isso quer dizer que o aniversário de um século deste evento ocorre em exatos 24 dias, contando a partir desta quarta-feira (19). Este era o dia que, segundo os devotos católicos, a Virgem Santíssima lembrou às pessoas que caso seus apelos para converter a Rússia à fé não fossem ouvidos, Deus utilizaria o país para causar estragos no mundo.

Publicidade
Publicidade

É sabido que imagem da Virgem Maria, mãe de Jesus, apareceu na cidade de Fátima, em Portugal, em outras cinco datas distintas. A última ocasião em que uma aparição da santa foi registrada foi em 13 de outubro de 1917. Os cristãos dizem acreditam que nesse dia houve o anúncio de que a guerra estaria prestes a acabar e os soldados retornariam em breve para suas casas.

Segundo o jornal Daily Star, em 2015, além de ter dito que Trump seria eleito (antes que as probabilidades eleitorais dessem sinais claros disso), o suposto clarividente teria previsto que o empresário bilionário se tornaria o ‘rei iluminati’ responsável por levar o mundo à 3ª Guerra Mundial.

O mesmo místico também teria apostado que o líder norte-americano atacaria a Síria pouco tempo após tomar posse, o que ocorreu no início de abril, quando os EUA decidiram efetuar um grande ataque aéreo em uma base síria, em Homs, depois de o ditador ter lançado armas químicas que mataram dezenas de inocentes, incluindo 20 crianças.

Publicidade

Sobre a previsão que ainda não se concretizou, ou seja, suposta guerra nuclear ou Terceira Guerra Mundial, Horácio Villegas afirma que estarão envolvidas além de Estados Unidos e Coreia do Norte, também as potências Rússia e China.

Como a imprensa internacional tem noticiado com intensa cobertura, a Coreia do Norte desafia os Estados Unidos e os países aliados ao insistir em manter seu programa de testes de mísseis. Acredita-se que o país está desenvolvendo ogivas nucleares capazes de serem instaladas em mísseis com alcance intercontinental.